rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Cocaína França Droga Polícia

Publicado em • Modificado em

Suspeito de roubar cocaína de sede da polícia francesa pertence à corporação

media
O Quai des Orfèvres, sede da polícia francesa no centro de Paris. wikipedia

Um integrante da Polícia Nacional foi preso neste sábado (2) como suspeito pelo roubo de 52kg de cocaína de dentro da sede da polícia judiciária parisiense, na quinta-feira (31). Inédito na polícia francesa, o crime teve grande repercussão entre a opinião pública do país. O suspeito é um homem de 34 anos que ocupava o posto de brigadeiro de polícia, a terceira mais alta graduação entre os policiais franceses.


Ele integrava a Brigada de Estupefacientes há vários anos e foi encontrado por volta do meio-dia na cidade de Perpignan, no sul da França, onde passava férias.

O homem é descrito por seus colegas como “alguém de confiança”, mas “apagado” e de pouca expressão dentro da corporação. Segundo as primeiras investigações, ele seria proprietário de diversos imóveis, incluindo sete apartamentos em Perpignan, o que é considerado suspeito pelos investigadores.

No sábado pela manhã, apenas algumas horas antes de ser preso, ele ainda telefonava a colegas de seu grupo para se informar sobre as investigações em curso. O ministro do Interior Bernard Cazeneuve anunciou que o suspeito está suspenso de suas atividades em caráter temporário. “Se a investigação confirmar a sua implicação, e assim que tivermos a conclusão desta investigação, tomarei todas as sanções e outros dispositivos necessários”, afirmou Cazeneuve. Ele reforçou que “este tipo de desvio não pode existir dentro da polícia” e classificou o episódio como “extremamente grave”.

Carga de € 2 milhões

A perseguição ao suspeito começou na manhã de sábado e passou por sua casa na região parisiense até chegar ao sul. O desaparecimento da carga avaliada, em € 2 milhões, é inédito por seu tamanho e valor. A ousadia de roubar o prédio do famoso endereço 36 Quai des Orfèvres mobilizou as autoridades e opinião pública francesa.

Foi na manhã de quinta-feira que se constatou que a droga não se encontrava mais na sala supostamente ultra-segura, cujo acesso exige a assinatura de um registro e de estar acompanhado por um funcionário que possua a chave. Os investigadores se interessaram por um homem que teria sido visto no local com duas bolsas na noite de 24 de julho. A análise das imagens das câmeras de segurança mostrou semelhanças entre o indivíduo das bolsas e um funcionário da Brigada de Estupefacientes.

A droga havia sido apreendida após uma longa investigação em que 14 suspeitos foram presos e 48 pães de cocaína, cada um com cerca de 1.100 gramas, foram encontrados em um apartamento de Paris.