rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Marine Le Pen Extrema-Direita Eleição Eleitores Pesquisa de opinião Frente Nacional

Publicado em • Modificado em

Marine Le Pen lidera pesquisas de voto para eleições de 2017 na França

media
A presidente do partido Frente Nacional, Marine Le Pen, ganha preferência do eleitorado francês com a impopularidade do presidente François Hollande. REUTERS/Eric Gaillard

Se as eleições presidenciais fossem realizadas no próximo fim de semana na França, a líder do partido Frente Nacional (FN), Marine Le Pen, teria grandes chances de ser a nova chefe do Estado. Uma pesquisa divulgada nesta terça-feira (4) pelo Instituto Francês de Opinião Pública (Ifop) comprova o crescimento da extrema-direita no país e o desgosto da população com o presidente François Hollande.


“Se o primeiro turno das eleições presidenciais fosse realizado no próximo domingo, para qual candidato você votaria?” – essa foi a pergunta lançada pelo Ifop e respondida por 1.382 eleitores. Os resultados são tão positivos para a líder do FN que, em sua análise, o instituto de pesquisa chega a classificá-la como “a candidata ganha-tudo”.

Se o candidato do partido de direita UMP fosse o ex-primeiro-ministro Alain Juppé, ele obteria 28% dos votos contra 30% de Le Pen. Neste cenário, Hollande obteria 13% e o candidato do partido de centro-direita Modem, François Bayrou, 10%.

Se Bayrou não se apresentasse para as presidenciais, Juppé igualaria as intenções de voto com Le Pen em 32%. Esse seria o pior cenário possível para a líder da extrema-direita, que enfrentaria o ex-primeiro-ministro do governo Sarkozy no segundo turno das eleições.

Caso o candidato da UMP fosse hoje o ex-presidente Nicolas Sarkozy, ele obteria 26% dos votos; Le Pen, 29%; Hollande chegaria em terceiro lugar com 14%, e o candidato do partido de centro-direita Modem, François Bayrou, teria 13%.

Fracasso de Hollande

Os resultados são inéditos para um presidente francês. De acordo com a pesquisa do Ifop, François Hollande perderia as eleições para qualquer candidato que enfrentasse. “Como um símbolo da grande dificuldade de sua relação com a opinião pública, o candidato socialista conseguiria menos da metade dos votos que recebeu no primeiro turno das últimas eleições, em 2012”, analisa o instituto.

O cenário não é mais otimista para nenhum dos outros possíveis candidatos do Partido Socialista. Se, no lugar de Hollande, a prefeita da cidade de Lille, Martine Aubry, fosse estivesse concorrendo, ela teria apenas 13% dos votos. O atual primeiro-ministro Manuel Valls também não convence os franceses. Se as eleições fossem hoje, ele obteria apenas 15% dos votos.