rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Rodovia Estradas Segurança Morte

Publicado em • Modificado em

Governo francês reduz limite de velocidade em rodovias para 80 km/h

media
Medida experimental vai reduzir limite de velocidade em algumas estradas francesas de 90 km/h para 80 km/h.

O ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve, anunciou nesta segunda-feira (11) a redução do limite de velocidade em três rodovias do país de 90 km/h para 80 km/h. A medida servirá como teste e pode ser validada caso se mostre efetiva na diminuição do número de acidentes nas estradas.


O excesso de velocidade é a primeira causa de mortes nas rodovias da França, de acordo com organizações de vigilância das estradas. Em 2014, o número de mortos nas rodovias do país aumentou, o que não acontecia há 12 anos: um acréscimo de 3,7%, totalizando 3.388 vítimas fatais.

A título experimental, durante dois anos, três rodovias que cortam uma região entre o centro e o leste do país, terão sua velocidade limitada a 80 km/h: a RN7, no departamento do Drôme, a RN151, nos departamentos de Nièvre e Yonne e a RN57, no departamento de Haute-Saône.

"Este teste será transparente, honesto e rigoroso", declarou Cazeneuve ao anunciar a medida no Conselho Nacional da Segurança das Rodovias (CNSR). "É sobre essa base que poderemos tomar decisões que poderão ser aplicadas a todos porque elas vão resultar em dados seguros e não em especulações", reiterou o ministro francês do Interior.

A medida não agradou todas as organizações sobre a segurança nas estradas. Como protesto, dois integrantes do comitê de consulta da CNSR pediram demissão hoje porque acham que a medida teste anunciada por Cazeneuve é insuficiente. Claudine Perez-Diaz e Claude Got acreditam que "a França desistiu da segurança nas rodovias".

Já a Liga contra a Violência nas Rodovias fez um apelo para que o dispositivo seja aplicado em todo o território nacional. "Defendemos que o limite de velocidade em todas as estradas com dupla circulação sem separadores entre elas passem imediatamente de 90 km/h à 80 km/h", declarou a presidente da associação, Chantal Perrichon.