rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Animais Roubo

Publicado em • Modificado em

Macacos de espécie brasileira são roubados de zoológico na França

media
Mico-leão-dourado roubado do zoo de Beauval. Twitter‏@GalouNini

Dezessete micos raros e protegidos foram roubados do jardim zoológico de Beauval, no centro da França, na madrugada de domingo (10). Entre os animais estavam sete micos-leões-dourados, espécie de origem brasileira. Os outros dez animais são ouistitis prateados. Delphine Delord, uma das responsáveis pelo zoológico, disse à RFI Brasil que o zoo participa de um programa de internacional de conservação e possui exemplares da espécie desde 1993.


"É uma espécie gravemente ameaçada na floresta tropical, estamos chocados", afirmou. “Espero que as pessoas que os roubaram saibam cuidar deles, porque eles têm um regime alimentar específico.” Um dos micos estaria sob cuidados intensivos, devido a um machucado sério na cauda.

Segundo Delord, todos os micos-leões-dourados do mundo pertencem ao Brasil, em razão da origem da espécie, que só existe na Mata Atlântica. Mas a propriedade é simbólica, já que os animais não necessariamente nascem em terras brasileiras. Os sete roubados, por exemplo, nasceram na França. Eles estavam em um centro reservado, que matinha cuidados especiais aos animais, com a presença de um coordenador brasileiro.

Venda proibida

O zoológico não entende como os micos puderam ser roubados, apesar das câmeras de vídeo, do sistema de alarme e das patrulhas 24 horas por dia. Todas as delegacias e serviços veterinários franceses foram informados para tentar encontrar os animais o mais rápido possível.

A venda e a posse dos micos ameaçados de extinção são proibidas na França. Os macacos podem ter ser destinados ao mercado negro, para venda como animais de companhia ou a colecionadores, por exemplo. O valor de cada mico no pode chegar a € 10 mil.

O roubo despertou comoção na opinião pública francesa. Desde cedo nesta terça-feira, usuários de redes sociais fazem uma campanha com a hashtag #Rendezlespetitssinges (devolvam os macaquinhos, em francês).