rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Germanwings Avião Airbus A-320 Tragédia Andreas Lubitz Alpes

Publicado em • Modificado em

Homenagem às vítimas da Germanwings marca 4 meses da queda do avião nos Alpes

media
Les proches des victimes du crash de la Germanwings réunis autour d'une stèle commémorative, le 24 juillet 2015 au Vernet. REUTERS/Robert Pratta

A prefeitura de Le Vernet, nos Alpes franceses, realizou nesta sexta-feira (24) uma homenagem às vítimas da queda do avião da Germanwings, quatro meses após uma das piores tragédias aéreas do país. No último dia 24 de março, o copiloto alemão Andreas Lubitz tomou controle da direção do Airbus A320 e o chocou contra as montanhas do sudeste da França, matando as 150 pessoas a bordo.


A cerimônia foi ministrada pelo bispo Jean-Philippe Nault, na presença cerca de 200 pessoas, entre parentes e amigos das vítimas, sob uma tenda instalada especialmente para a ocasião. No pé do monumento em homenagem aos mortos, foram depositadas flores e mensagens.

Os restos não identificados das vítimas foram enterrados ontem à noite no cemitério da cidade, em um túmulo coletivo. Os parentes devem visitar o local nesta sexta-feira.

Segundo o prefeito de Le Vernet, François Balique, o funeral aconteceu "em total discrição". "Para os familiares das vítimas esse é um segundo 'adeus', porque já enterraram os restos identificadas com DNA. Não existia outra solução a não ser fazê-lo de maneira coletiva, embora seja um momento difícil para os familiares", declarou.

Um morador da cidade que acompanhou de longe o evento, Jean-Marcel, de 70 anos, disse que foi ao local "prestar seu respeito" aos mortos na queda do avião. "O incidente foi dramático, mas a vida na cidade vai continuar, apesar da tragédia", declarou, emocionado.

Indenizações

A cerimônia ocorre em um momento de tensão entre a Lufthansa e os familiares pela questão das indenizações. Os parentes rejeitaram a oferta de € 25 mil por vítima apresentada pela companhia e exigem a quantia mínima de € 100 mil.

Como consequência, o presidente da Lufthansa não acompanhou a cerimônia de hoje em Le Vernet. "Não quero perturbar a dignidade da cerimônia com esta questão", indicou, por meio de um porta-voz da companhia.

O diretor-geral da Germanwings, Thomas Winkelmann, e a diretora financeira da Lufthansa, Simone Menne, estavam presentes na homenagem.

150 mortos

Cento e cinquenta pessoas, entre elas 72 alemães e 50 espanhóis, morreram na queda do Airbus da Germanwings, filial de baixo custo da Lufthansa. O avião realizava um voo entre Barcelona e Dusseldorf.

Segundo os investigadores, a aeronave foi lançada deliberadamente contra os Alpes pelo copiloto alemão Andreas Lubitz. Apesar de ter tido conhecimento de alguns sinais de graves problemas psicológicos, a empresa não o afastou do cargo.

(Com informações da AFP)