rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Moda francesa Desfile Luxo

Publicado em • Modificado em

Fashion Week de Paris marca volta de Courrèges às passarelas

media
Sébastien Meyer (d) e Arnaud Vaillant apresentam primeiro desfile à frente da marca Courrèges. Coperni

Depois de Nova York, Londres e Milão, a temporada parisiense de desfiles prêt-à-porter primavera-verão 2016 começa nesta terça-feira (29). Uma das principais expectativas dessa Fashion Week é a volta às passarelas de Courrèges, nome que marcou a história da moda na década de 1960 com suas silhuetas futuristas.


Apesar de manter sua imponente loja totalmente branca na rua François 1er, um dos principais endereços do luxo parisiense, a marca Courrèges estava praticamente adormecida nos últimos anos. Os vestidos trapézio e as botas de borracha inspiradas na conquista do espaço, que embalaram sua época áurea, não evoluíram e, assim como Pierre Cardin, o nome vivia graças às licenças de produtos derivados pelo mundo afora. Longe das passarelas há anos, o renascimento foi orquestrado pelos publicitários Jacques Bungert e Frédéric Torloting, que compraram a grife em 2011 e, desde então, procuram uma nova identidade, sem esquecer o ADN da empresa criada em 1961 por André e Coqueline Courrèges.

Mas os principais atores desse esperado comeback são Arnaud Vaillant e Sébastien Meyer, dupla de estilistas contratada este ano para dar o tom da “nova” Courrèges. O primeiro desfile dos dois jovens (25 e 26 anos, respectivamente) é aguardado com grande expectativa, pois os rapazes já são figuras conhecidas do mundinho da moda : o duo é responsável pelo estilo da Coperni, marca que brinca com códigos da arquitetura e que conquistou em 2014 com sua primeira coleção o Andam, um dos principais prêmios da moda francesa.

Os donos da Courrèges chegaram a manter por algum tempo o mistério se iriam desfilar ou não, alegando que não queriam entrar no sistema clássico da Fashion Week. Os empresários pretendiam perpetuar a espírito de ruptura que marcou a história da marca nos anos 60, mas finalmente decidiram entrar no ritmo dos demais e apresentam a primeira coleção sob a batuta de Vaillant e Meyer nesta quarta-feira (30).

Nenhum detalhe vazou sobre os modelos que desfilam na estreia, mesmo se os diretores artísticos já disseram que pretendem investir em um “luxo pop”. Uma aposta estratégica que pode interessar os investidores futuros, já que Courrèges é uma das poucas marcas independentes do setor e gigantes do luxo, como os grupos LVMH e Kering, já demonstram um certo interesse pelo negócio.

Irmãs Olsen estreiam em Paris e Alexander Wang se despede de Balenciaga

Esta temporada de desfiles parisienses também será marcada pela primeira apresentação na capital francesa da The Row, marca fundada por Mary-Kate e Ashley Olsen. As duas irmãs, que ficaram conhecidas quando ainda eram crianças por seus papéis em filmes e séries na televisão norte-americana, conseguiram uma mudança de carreira bem-sucedida, em um setor que nem sempre vê com bons olhos os egressos de disciplinas artísticas que decidem “brincar de estilista”. Assim como a ex- Spice Girl Victoria Beckham – verdadeira exceção que confirma a regra – as duas irmãs investiram em uma estética mais discreta e muito trabalho para, aos poucos, conquistarem seu espaço. A tal ponto que foram premiadas este ano com o CFDA, uma espécie de Oscar da moda nos Estados Unidos.

Outro desfile esperado nesta temporada é o último de Alexander Wang na Balenciaga. O norte-americano deixa a tradicional marca francesa, que pertence ao grupo Kering, após apenas três anos e o nome de seu sucessor ainda não foi revelado. Wang havia substituído o francês Nicolas Ghesquière, que comandou com primor o estilo da grife durante 15 anos, antes de assumir a direção artística da Louis Vuitton, em 2013, no lugar de Marc Jacobs, no auge da mais recente dança das cadeiras do mundinho da moda.

A temporada parisiense de desfiles prêt-à-porter vai até 7 de outubro.