rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Atentados de Paris Bataclan Grupo Estado Islâmico

Publicado em • Modificado em

Bataclan vai reabrir em Paris um ano após ataques terroristas

media
O Bataclan, com capacidade para 1.500 pessoas, reabre em novembro. F. Guillot/AFP

A sala de espetáculos Bataclan, principal alvo dos ataques terroristas de novembro do ano passado, que mataram 130 pessoas em Paris, anunciou nesta quarta-feira (13) que retomará o programa de shows ao final das obras de reforma.


Segundo o site do Bataclan, a data exata da reabertura ainda não foi estabelecida, mas algumas apresentações já estão definidas: o roqueiro britânico Peter Doherty, em 16 de novembro; o senegalês Youssou N'Dour e o Super Etoile de Dakar; no dia 18; a banda norte-americana Nada Surf, em 2 de dezembro, e MZ, no dia 3 de dezembro.

“Queremos preservar o calor e a simpatia do local, além do espírito popular e festivo”, diz a mensagem. Outros shows devem ser anunciados nos próximos dias, afirma , sem esquecer de fazer uma menção às 90 vítimas fatais e familiares do ataque no local, no dia 13 de novembro de 2015. O atentado aconteceu durante show do Eagles of Death Metal, quando kamikazes atiraram contra o público e detonaram bombas no interior da sala.

Jesse Hughes, vocalista da banda californiana, declarou ao ir ao local após o atentado, que gostaria muito que seu grupo fosse o primeiro a tocar na reabertura.

Sala é uma das mais conceituadas da capital francesa

Construído em 1864, o Bataclan passou por uma grande reforma nos anos 1970 e se tornou um dos principais endereços de shows em Paris. A sala, com capacidade para 1.500 pessoas, já recebeu artistas e grupos como Lou Reed, Prince, Oasis e Stromae.

 O grupo Estado Islâmico, que reivindicou os atentados em Paris, proíbe música e dança nos setores da Síria e Iraque sob controle dos jihadistas.