rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Mali Intervenção militar Morte Minas

Publicado em • Modificado em

Explosão de mina mata três soldados franceses no Mali

media
Um soldado malinês e um militar francês que atuam nas operações no norte do Mali. PASCAL GUYOT / AFP

A explosão da mina durante a passagem de um veículo blindado francês aconteceu na terça-feira (12) e matou imediatamente um soldado. Dois militares que ficaram gravemente feridos no incidente morreram nesta quarta-feira (13), informou o governo francês. A França vai prestar uma homenagem nacional aos três soldados na semana que vem.


O presidente François Hollande manifestou hoje sua "grande tristeza" com a morte dos dois soldados "em consequência dos ferimentos" sofridos ontem. O chefe de Estado expressou a solidariedade da nação aos familiares dos militares.

O ministério francês da Defesa informou que a explosão aconteceu durante uma operação das forças francesas, no norte do Mali. O blindado liderava um comboio de quase 60 veículos quando passou em cima da mina. Além dos três mortos, o governo informa que um soldado continua ferido.

As forças francesas atuam no norte do Mali desde o início de 2013. A França mantém um contingente de 3.500 homens em cinco países do Sahel (Burkina Faso, Mali, Mauritânia, Níger e Chade) para lutar contra grupos jihadistas. Dezessete soldados franceses já morreram nas operações militares na região.

A intervenção internacional, lançada pela França e que conta atualmente com a participação da missão da ONU, composta por mais de 11 mil homens, conseguiu expulsar grande parte dos grupos jihadistas que controlavam o norte do Mali. Mas os combatentes radicais ainda estão presentes em algumas áreas.

Minas representam hoje o principal perigo

As minas representam hoje o principal perigo para os soldados franceses que atuam na região do Sahel. Os explosivos destruíram, desde agosto de 2015, cerca de dez veículos militares do exército francês.

A utilização das minas ou bombas artesanais enterradas no solo se transformou em uma das estratégias de ação privilegiada dos jihadistas presentes na região. Para aumentar sua segurança, o exército francês decidiu reutilizar veículos altamente protegidos que tinham servido nas operações no Afeganistão. A blindagem de alguns veículos também será reforçada e o sistema para detectar objetos suspeitos nas estradas utilizadas regularmente pelas forças francesas será melhorado.