rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Investigação Paris Terrorismo Explosivo Justiça Ministério Público

Publicado em • Modificado em

Justiça investiga descoberta de novos explosivos em Paris

media
A franco-suiça cimenteira Lafarge está metida em várias polêmicas, como o apoio à construção do muro de Trump e um suposto financiamento de jihadistas. Reuters/ Benoit Tessier

O Ministério Público de Paris abriu uma investigação após a descoberta nesta quinta-feira (5), em uma fábrica de cimento da Lafarge, de vários botijões de combustível conectados a um detonador, debaixo de três caminhões, segundo anúncio feito pela própria empresa franco-suíça.


"Confirmamos que, nesta manhã (5), em nossa central de Porte-de-Pantin [no 19° distrito de Paris], diversos botijões de combustível conectados a um sistema de disparo foram descobertos debaixo de três caminhão", disse a empresa Lafarge em um comunicado.

O documento afirma ainda, citando uma fonte policial, que "essas garrafas continham combustível" e que "o detonador era bastante artesanal". "O Ministério Público de Paris abriu uma investigação com a qual cooperamos plenamente ", acrescenta o comunicado da Lafarge.

O fato acontece poucos dias após a descoberta de dois botijões de gás, na noite de sexta (29) para sábado (30) no corredor de um edifício do 16° distrito, além de outros dois botijões no exterior do prédio. Eles estavam molhados de gasolina e conectados por meio de um fio elétrico a um celular.

De acordo com os primeiros elementos da investigação da polícia judicial francesa, não havia risco de explosão, mas novas análises estão em andamento para determinar a natureza do combustível contido nos botijões.

Dentro da fábrica

Após a descoberta, feita pelos trabalhadores fábrica, policiais e bombeiros se dirigiram ao local e um perímetro de segurança foi estabelecido nas margens do canal de Ourcq, famosa área da capital francesa.

Segundo o relato de funcionários, às 6h (hora de Paris) desta quinta-feira (5), quando os trabalhadores chegavam à fábrica em Pantin, no nordeste da capital francesa, os dez caminhões estavam "estacionados como de costume", afirmou um operador de grua, fornecedor de serviços para a Lafarge.

Mas, sob três deles, os funcionários descobriram seis botijões de combustível. Fios se encontravam ainda presos aos botijões, segundo uma fonte policial.

As câmeras se segurança da Lafarge, que operam 24 horas por dia no estacionamento onde os caminhões ficam estacionados, filmaram duas pessoas tentando colocar fogo nos botijões na noite desta quarta-feira (4), segundo declarou uma fonte policial.