rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Estilista Azzedine Alaïa morre aos 77 anos em Paris

Twitter França Marine Le Pen Frente Nacional Grupo Estado Islâmico Parlamento

Publicado em • Modificado em

Deputados franceses suspendem imunidade de Marine Le Pen

media
Marine Le Pen durante comício de seu partido em Bruguières, em 23 de setembro de 2017. REUTERS/Eric Cabanis

O Parlamento francês suspendeu nesta quarta-feira (8) a imunidade da líder de extrema-direita, Marine Le Pen, do partido Frente Nacional (FN), por fotos de vítimas do grupo extremista Estado Islâmico que ela divulgou em seu Twitter em 2015, uma decisão que a deputada denunciou como uma "baixeza politiqueira".


Em dezembro de 2015, a líder da Frente Nacional, Marine Le Pen, postou três fotos sob o título "Isto é o Daesh (denominação na França para o grupo Estado Islâmico)!", que mostravam, sucessivamente, um prisioneiro do EI esmagado por um tanque, outro em chamas dentro de uma jaula e um homem decapitado com a cabeça apoiada nas costas.

A foto do recém-decapitado era do corpo do americano James Foley, e Le Pen teve que retirá-la depois que a família expressou ter se sentido "profundamente chocada" com seu ato.

Le Pen é investigada pela Justiça francesa por estes tuítes, e ao ter suspensa a imunidade parlamentar, deverá comparecer perante um juiz.

"A liberdade de expressão e de denúncia, consubstacional com o papel de deputado, morreu com esta decisão de baixeza politiqueira", reagiu Le Pen. "É melhor ser um jihadista que volta da Síria do que uma deputada que denuncia as aberrações do EI", acrescentou.

Le Pen e outro deputado da FN, Gilbert Collard, de quem o Parlamento já suspendeu a imunidade, tinham decidido divulgar estas imagens para protestar contra a comparação feita por um jornalista, Jean-Jacques Bourdin, entre a FN e o grupo extremista.

(Com informações da AFP)