rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • França sugere que migrantes do navio Aquarius desembarquem em Malta
A Semana na Imprensa
rss itunes

Franceses trocam cimento por madeira em prédios comerciais

Por Adriana Moysés

Do sonho à realidade. Assim, a revista semanal francesa Le Point define uma nova tendência na França: o crescente uso da madeira de reflorestamento na construção civil. Adeus cimento, viva árvores do tipo epíceas e os pinheiros da floresta de Landes, na região sudoeste, um exemplo de floresta artificial criada para ser usada pela indústria.

Em abril de 2018, a cidade de Bordeaux irá inaugurar seu primeiro complexo de escritórios, em uma área de 4.600 metros quadrados, inteiramente construído com madeira certificada e alumínio. O edifício de seis andares, batizado de Perspectiva, será uma espécie de vitrine-laboratório dessa nova tendência no setor.

Especialistas garantem que não há risco de desmatamento abusivo com os novos projetos na área. Na verdade, em relação a outros países do norte da Europa, a França está até atrasada na aplicação dessa inovação.

A reportagem da Le Point mostra que as edificações que usam madeira no lugar de cimento custam de 10% a 20% mais caro, mas ficam prontas seis meses mais rápido, o que acaba compensando para as construtoras. Arquitetos também equacionaram a questão da altura dos edifícios. Construir arranha-céus em madeira é possível, é sustentável e pode acontecer em larga escala, como se observa nos projetos apresentados pela Le Point na região parisiense.

Vila Madalena terá edifício de 13 andares feito com madeira

O Brasil também terá em breve um prédio de 13 andares construído com madeira certificada. Ele será erguido em São Paulo, no bairro da Vila Madalena, para uso compartilhado – moradia e espaços de coworking.

A iniciativa partiu da Amata, empresa que vende madeiras certificadas no Brasil, e o escritório de arquitetura franco-brasileiro Triptyque projetou a obra. Cada metro cúbico de madeira reflorestada é capaz de absorver em média uma tonelada de carbono da atmosfera. Quando essa matéria-prima natural substitui o cimento, uma fonte não renovável de energia, automaticamente diminui-se o impacto do aquecimento global.

Entrevistado pela Le Point, Jerôme Mathieu, vice-presidente do escritório de arquitetura francês S2T, explica que a madeira apresenta várias vantagens: é mais resistente a incêndios do que tijolos, cimento e aço, por ser consumida pelo fogo de maneira mais lenta. É um material ecológico, de grande longevidade, ideal para esta fase de transição para uma sociedade de baixo carbono. Além de propriedades térmicas comprovadas, a madeira também tem qualidades acústicas e cria ambientes mais aconchegantes do que o cimento armado.

Vamos passear no bosque, sugere a Le Point a seus leitores. A selva de pedras pode estar com os dias contados.
 

Qualquer que seja o presidente eleito, será difícil tirar Brasil da crise, diz revista francesa Le Point

Psiquiatras franceses defendem Plano Nacional para tratar distúrbios mentais

Revista revela casos de assédio sexual nos conservatórios musicais da França

Livro mostra como poder econômico compra eleição e enfraquece democracia

Francesa mostra circuito de 200 motéis como atração turística do Rio de Janeiro

Revista L’Obs questiona “o que é ser um homem na era pós #Metoo”

Exposição com fotos inéditas dos bastidores da Nouvelle Vague é destaque na imprensa francesa

“Cães dos poderosos”: animais de estimação de presidentes franceses são capa da revista do Le Monde

Projeto de extração de ouro na Guiana Francesa vira "mina da discórdia"

Filme sobre Edir Macedo ilustra poder dos evangélicos no Brasil, diz Le Monde

Juiz uzbeque que criou confusão no Brasil é recordista de arbitragem na Copa

Finlândia tenta resolver crise de moradia oferecendo casa para os sem-teto