rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França panda Brigitte Macron China

Publicado em • Modificado em

Brigitte Macron batiza primeiro bebê panda nascido na França

media
Com quatro meses, o bebê panda Yuan Meng foi batizado nesta segunda-feira (4) no zoológico de Beauval, na presença de sua madrinha Brigitte Macron. REUTERES/Thibault Camus/Pool

A primeira-dama francesa, Brigitte Macron, batizou nesta segunda-feira (4) o primeiro panda nascido num zoológico da França, cria de um casal de ursos emprestado pelo governo da China.


No quesito carisma natural, poucos animais podem se beneficiar da unanimidade alcançada pelo panda, sobretudo quando se trata de um filhote. Desde agosto, os franceses estão embevecidos pelo primeiro panda gigante nascido no país, no dia 4 de agosto último.

Hoje, o pequeno urso foi batizado pela primeira-dama da França, Brigitte Macron, numa cerimônia no zoológico de Beauval, no departamento de Loir-et-Cher, 230 quilômetros ao sul de Paris, com a presença do vice-ministro das Relações Exteriores da China, Zhang Yesui.

A diplomacia do panda

Os orgulhosos pais, Huan Huan (Alegre, em chinês) e Yuan Zi (Roliço), foram emprestados ao governo francês, como reza a tradição diplomática da China, que há séculos doa ou aluga pandas para os seus aliados na geopolítica mundial, como um sinal de boas relações.

Por isso, o nome escolhido para um bebê panda, nascido desses laços diplomáticos, é coisa muito séria para os chineses. Não, ninguém batiza um panda com o primeiro nome que lhe passa à cabeça. Há todo um rigoroso protocolo que deve ser respeitado.

Primeiro, os responsáveis da reserva de onde vieram os pais sugerem alguns nomes para a primeira-dama da China, que, por sua vez, escolhe o nome que mais lhe agrada antes de sugeri-lo à primeira-dama do país onde o filhote nasceu, com a certeza de que a sugestão será imediatamente acatada.

Sonho realizado

Yuan Meng – voilà o nome escolhido para batizar o primeiro panda francês, significando, em português, a “realização de um sonho ou desejo”. Um sonho realizado com muita dedicação e paciência, uma vez que os pandas não procriam com facilidade em cativeiro.

Por um desinteresse sexual que intriga os cientistas, a procriação dos pandas demanda um apoio técnico inusitado, como a projeção de filmes “pornográficos”, feitos por atores fantasiados de panda, para excitar o macho.

Uma técnica que, dessa vez, deu bons resultados. Huan Huan deu à luz dois filhotes, mas, como ocorre com frequência, apenas um sobreviveu.

A partir de 13 de janeiro, o carismático Yuan Meng já poderá ser visto pelos franceses que, desde 2012, quebram o recorde de visitação do zoológico de Beauval para ver os únicos pandas que existem na França.