rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Contaminação Bebês

Publicado em • Modificado em

Leite francês contaminado com salmonela foi exportado para América do Sul

media
Imagem de una fábrica do grupo francês Lactalis, o maior produtor de laticínios do mundo. Lactalis

O escândalo do leite contaminado com salmonela do grupo francês Lactalis ganhou um novo capítulo neste domingo (10). Centenas de lotes de produtos - destinados a bebês - foram exportados para vários países, entre eles, o Peru e a Colômbia.


Os ministérios da Saúde e da Economia da França anunciaram neste domingo a proibição do consumo e da exportação de mais de 600 lotes de leite para bebês da empresa francesa Lactalis, potencialmente contaminados com salmonela. No início deste mês, doze alimentos lácteos produzidos grupo já haviam sido proibidos depois do diagnóstico de intoxicação em 20 crianças com menos de seis meses de idade. No entanto, após a decisão, novos casos foram registrados - o que alertou as autoridades sobre a dimensão do problema.

A proibição diz respeito a quase 7 mil toneladas de produtos potencialmente contaminados, informou Michel Nalet, diretor de comunicação do grupo que é o maior produtor de laticínios do mundo. "Não somos capazes de dizer o que já foi consumido", completou. 

Não apenas a França, mas vários países comercializam produtos da Lactalis, na Europa, África, Ásia e Oriente Médio. Na América do Sul, apenas o Peru e a Colômbia importam os alimentos em questão. A Lactalis tem fábricas no Brasil, mas o país não consta como destinação dos produtos exportados potencialmente contaminados. 

Perigos da salmonela

A salmonela é principalmente perigosa para as crianças e idosos, que têm o sistema imunológico frágil. Essas bactérias podem provocar intoxicação alimentar. Os problemas vão de gastroenterite leves até infecções mais graves.

O Ministério da Saúde francês publicou em seu site a lista completa dos lotes de produtos contaminados e disponibilizou um número de telefone para assistência gratuita, enquanto as autoridades sanitárias dão seguimento às análises.