rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Paris Circo Animais Defesa dos Animais

Publicado em • Modificado em

Paris se compromete a banir animais selvagens em circos

media
Ativistas protestam na França contra animais em circos. REMY GABALDA / AFP

Paris se comprometeu nesta quarta-feira (13) a se tornar uma cidade sem animais selvagens em circos. Ainda não existe prazo definido para o início da proibição e o Estado francês ainda deve se pronunciar sobre o caso - uma decisão unânime comemorada pelos ecologistas.


Depois de um debate acalorado sobre animais selvagens em circos e o abuso animal, os vereadores de Paris votaram uma proposição da prefeita, Anne Hidalgo, afirmando que Paris "compromete-se a ser uma cidade sem animais selvagens nos circos, com prazo a ser especificado pelo governo federal e os profissionais de circo".

O debate sobre o assunto foi reavivado após o episódio envolvendo um tigre que escapou de um circo em Paris, e acabou sendo baleado por seu dono, no dia 24 de novembro. "Os animais selvagens nos circos não são bem tratados, são explorados por diversão e isso está se tornando visível para todos os parisienses", disse Jacques Boutault, subprefeito do 2° distrito de Paris.

"Não podemos falar sobre a biodiversidade em todas as nossas deliberações e acharmos normal que espécies altamente ameaçadas sejam treinadas para fazer números e trancadas em gaiolas apertadas o resto do tempo", disse Yann Wehrling, porta-voz e secretário-geral dos centristas do MoDem. No entanto, Penelope Komites, secretária do Meio Ambiente de Paris, lembrou que as cidades não têm competência legal nesta área.

"Assédio" de ativistas da causa animal

Comunistas, democratas e progressistas lembraram o "assédio" de que tinham sido objeto por parte de ativistas da causa animal, que lhes enviaram "centenas de emails” para votar uma proibição.

A decisão de não possuir mais animais selvagens em cativeiro nos circos foi votada por unanimidade, apesar do seu caráter "vago e um pouco vago", de acordo com Wehrling. "Este é um avanço, mesmo que não vá longe o suficiente", disse Boutault, descrevendo a votação como "um pequeno passo à frente, mas não para a frente".

Paris, que, segundo Anne Hidalgo, condena "todas as formas de tráfico e abuso de animais", também organizará reuniões com os donos de circo.