rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Chef brasileira propõe menu vegano para ceia de Natal

Por Claudia Giuza Mercier

Desafiamos a chef brasileira Rosilene Vitorino a sugerir uma ceia de Natal saborosa para os veganos. Ela já passou pelo restaurante da Embaixada Brasileira de Paris e agora está à frente do Niébé - que propõe uma homenagem à cozinha brasileira e escrava, na capital francesa. Com sua culinária repleta de miscigenação e identidade, a chef garante que é possível preparar pratos apetitosos para as festividades natalinas.  

(Para ouvir a entrevista com Rosilene Vitorino na íntegra, clique na foto acima)

“A cozinha vegana é imaginação. Por exemplo, para a farofa, a gente pode colocar margarina, frutas secas e ela vai ficar deliciosa.” Para acompanhar o prato, Rosilene sugere o seitan, uma espécie de carne de glúten. “Ele precisa ser de boa qualidade para ser bom.”

Achef brasileira sugere também receitas como o bobó para a ceia de Natal. “Acompanhado de arroz negro, com tofu. Eu gosto muito de usar o tofu defumado”, ensina Rosilene Vitorino.

Mesa farta, mas sem produtos de origem animal

Sobre o clichê de uma mesa de Natal adornada com aves e pernis como pratos principais, a chef garante que é possível fazer uma boa apresentação do menu vegano. “Isso é uma questão de bom gosto. Você pode colocar o creme de mandioca debaixo do arroz negro e enfeitá-lo com tofu e adicionar algumas ervas para dar um toque. São várias propostas, é uma questão de imaginação.”

Rosilene Vitorino recomenda como entrada dadinhos de tapioca. “Ao invés de colocar o leite, insira o leite de soja. No lugar do queijo, você coloca o inhame. Pode fazer uma mousse de chocolate vegana. Não precisa colocar os ovos. A água do grão de bico, se for batida, vira clara em neve, ensina.”

No Brasil, como no mundo todo, vem crescendo o número de veganos. Mas o valor de determinados produtos de origem não-animal ainda é elevado. A dica da especialista é preparar os alimentos.

“Você pode fazer bife, por exemplo, utilizando feijões, vermelho ou preto. É só bater bem. Você pode colocar com grão de bico. Se você adiciona um pouquinho de suco de beterraba e já vai dar um aspecto de carne. A cozinha vegana tem que ter imaginação. Se você pensar que vai comer só aquela coisa crua e só legumes não vai dar vontade”, argumenta a chef brasileira.

Feijoada vegana faz sucesso em Paris

Clique na foto para ver a receita da Feijoada Vegan Rosilene VITORINO

O Niébé, restaurante onde Rosilene Vitorino trabalha, tem como um dos carros-chefe, a feijoada vegana. “Eu sempre quis mostrar para as pessoas que o que a gente faz no Brasil é bom e de qualidade. A vantagem que eu tenho neste restaurante é de unir as pessoas. Que elas possam comer vegano ou não. Os produtos que vão na feijoada, a maneira como você faz, vai valorizar o prato. Minha feijoada vegana não é feita com legumes. Eu utilizo o feijão preto, salsicha de tofu, o bife de glúten para substituir a carne de porco. A minha satisfação foi ouvir de um brasileiro que não percebeu que a feijoada era vegana”, comemorou a chefe brasileira.

 

 

Comitiva de indígenas brasileiros na Europa reforça campanha contra acordo UE-Mercosul

Claudia Jaguaribe lança livros de fotografia sobre mulheres e meio ambiente em Paris

“Atualidade política e social do Brasil me inspirou”, diz Flávia Coelho sobre disco DNA

“Leiam escritores brasileiros vivos!”, pede Fred Di Giacomo, finalista do Prêmio SP de Literatura

Mestre da Arte Óptica, Marcos Marin expõe em Paris obras de Neymar e Santos Dumont

Curador expõe fotógrafos brasileiros da nova coleção da Biblioteca Nacional da França em "Terra Brasilis"

Palcos europeus recebem pela primeira vez a música-poesia de Arthur Nogueira

Revelação do violão brasileiro, João Camarero leva sofisticação do choro a plateias europeias

Do interior do Amazonas a digital influencer premiada em Mônaco: a história de Cacau Sitruk

Duo franco-brasileiro lança disco que mistura “Trem das Onze” e Erik Satie

“Meu trabalho é pela pacificação”, diz pintora brasileira que expõe em Paris

Luiza Brunet diz que “toda mulher é feminista”: “apanhar aos 50 foi gota d’água”

Feira de Frankfurt: “Brasil é o país das impossibilidades”, diz Luiz Ruffato

“Se não tomarmos cuidado, fotografo um mundo em extinção”, diz Sebastião Salgado em Frankfurt

Barbara Paz: Documentário premiado em Veneza é seu “filho-filme” com Babenco

Conferência Internacional [SSEX BBOX] em Paris tem Jean Wyllys e Lea T na programação