rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Turismo Alpes Esqui

Publicado em • Modificado em

Aumenta em 20% o número de turistas brasileiros nas estações de esqui francesas

media
Empresários investem para atrair mais brasilerios para as estações de esqui francesas. tourisme.fr

Cerca de 700 mil turistas brasileiros visitaram a França em 2017. A soma representa um crescimento de 20% em relação aos anos anteriores. Para a diretora para a América do Sul da Atout France - agência de Desenvolvimento Turístico da França no Brasil - Caroline Putnoki, esse aumento reflete também nas estações de esqui francesas. Ela afirma que a retomada da economia brasileira e a atual conjuntura política norte-americana contribuíram para esse avanço.


“Na verdade é a retomada do esqui na França pelos brasileiros. Com a situação política mundial, a França beneficiou muito de uma pequena queda no interesse dos brasileiros pelos Estados Unidos”.

Putnoki afirma que a França sempre foi a destinação preferida pelos brasileiros que viajam para a Europa.

Savoir-faire francês

De acordo com o CEO do TTW Group e proprietário das agências especializadas em Ski, a SkiBrasil com sede em São Paulo, e a SkiEUA, na Flórida, Eduardo Gaz, o turista brasileiro prefere as estações francesas devido à experiência como um todo.

“A experiência que você tem na França é muito diferente da que você tem nos Estados Unidos. Nos Estados Unidos tudo é impecável em relação à infraestrutura. Tudo funciona maravilhosamente bem, mas muito homogeneizado. A França é um outro mundo. Além das pistas de esquis em várias cidadezinhas, tem a gastronomia, a cultura, as paisagens”, afirma.

Eduardo Gaz explica que os motivos na hora de escolher um destino turístico pelos brasileiros têm mudado. “O brasileiro tem essa questão de Europa. Estados Unidos para ele é a Disney e a Europa atrai mais pela experiência cultural. Além dele ter uma viagem de esqui muito mais completa por causa da gastronomia, do ambiente, ele também consegue colocar um pouco de cultura na viagem e acaba fugindo um pouquinho das compras. Antigamente, o brasileiro saia louco para comprar e hoje ele está mais ligado à experiência da viagem. A experiência na Europa é incomparável com a dos Estados Unidos”, analisa o empresário.  

Experiência inesquecível

No ano passado, a estudante mineira Laura Dutra Benjamin, de 22 anos, participou de um programa universitário em uma estação de esqui em Val d’Isère, nos Alpes franceses. “Passei uma semana inesquecível. Eu e meus colegas participamos de vários eventos, competições de esqui. Eu não aprendi a esquiar muito bem, mas me diverti muito. É uma experiência que vale muito a pena”, aconselha a estudante.

Alto investimento

O crescimento da quantidade de brasileiros nas estações francesas também foi constatado pelo Club Med. Com investimentos de cerca de R$ 400 milhões, o grupo francês acaba de lançar o Grand Massif Samoëns Morillon, no sudoeste da França.

Com 420 suítes, o complexo tem 100% de suas acomodações esgotadas para este mês de janeiro, sendo que 20 % das reservas foram feitas por brasileiros. Caroline Putnoki, da Atout France, explica a preferência por esse tipo de pacote.  

“Brasileiro gosta muito do esquema tudo incluído. O Club Med tem bons preços e o cliente não tem que se preocupar com nada. Dentro do pacote estão incluídas as refeições, os equipamentos e aulas de esqui. Nas estações, eles têm um pessoal que fala português. Isso faz a diferença”, justifica Putnoki.

Apesar dos profissionais do setor que promovem o turismo nas estações de esqui francesas comemorarem o retorno dos brasileiros, o programa ainda não é para todos os bolsos. Uma semana em uma estação de esqui para quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças, custa, no mínimo, R$ 30 mil.