rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Incêndio Paris Atentados de Paris Justiça

Publicado em • Modificado em

Incêndio destrói mercearia judaica perto de Paris

media
Cerimônia organizada em memória das vítimas do supermercado judeu Hyper Cacher. 07/01/18 REUTERS/Christian Hartmann

Três anos depois do atentado terrorista que deixou cinco mortos em um mercado judaico, no 20° distrito da capital, um incêndio, provavelmente criminoso, destruiu um estabelecimento em Créteil, nos arredores do leste da capital, pichado na semana passada com dizeres antissemitas.


O fogo na loja “Promo & Destock”, que também atingiu parcialmente o supermercado Hypercasher, situado no mesmo centro comercial, começou por volta das 4h e provocou grandes estragos, segundo a Secretaria de Segurança Pública de Créteil.

De acordo com a procuradora Laure Beccuau, o incêndio foi provavelmente criminoso porque a persiana da loja estava levantada, o que deixa entender que houve uma invasão. Um inquérito foi aberto para averiguar o caso. O estabelecimento é um dos três locais, situados dentro de um centro comercial, que foram pichados com suásticas no dia 3 de janeiro.

O incidente desta segunda-feira aconteceu três anos depois do ataque jihadista contra um supermercado judeu situado no leste de Paris em 2015, que provocou a morte de três clientes e de um funcionário da loja.

Homenagem

Neste domingo, o presidente francês Emmanuel Macron prestou homenagem às vítimas do ataque que aconteceu dois dias depois do atentado contra o jornal satírico Charlie Hebdo, no dia 7 de janeiro de 2015, perpretado pelos irmãos Chérif e Saïd Kouachi, que deixou 12 mortos.

No dia seguinte, um outro jihadista, Amédy Coulibaly matou uma policial municipal em Montrouge, e depois assassinou quatro reféns durante um ataque à mercearia judaica Hypercasher. Depois dos atentados, mais de 4 milhões de franceses desceram às ruas na França, para defender a liberdade de expressão com o slogan “Je Suis Charlie”.