rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Contaminação Supermercado

Publicado em • Modificado em

Supermercados franceses venderam leite com Salmonella apesar de aviso do fabricante

media
Fachada da marca de leite Celia, da Lactalis, em Craon, na França DAMIEN MEYER / AFP

As redes de supermercado francesas Leclerc, Auchan, Intermarché, Système U e Carrefour reconheceram nesta terça-feira (9) e quarta-feira (10) falhas na distribuição do leite da marca Lactalis, contaminado com Salmonella, que continuaram nas prateleiras depois da denúncia.


No dia 21 de dezembro de 2017, a Lactalis, maior fabricante de leite da França e líder mundial no setor, anunciou a retirada do mercado dos produtos infantis produzidos em sua fábrica em Craon, no oeste do país, desde fevereiro de 2017. O motivo foi a descoberta de uma contaminação por salmonela, bactéria responsável por graves infecções digestivas.

No dia 20 de dezembro, a Vigilância Sanitária Francesa já havia identificado 35 casos de recém-nascidos afetados pelo micróbio, sendo que 31 deles haviam consumido produtos da fábrica francesa.

Em seu blog, o diretor do grupo Leclerc, Michel-Edouard Leclerc, reconheceu que 984 produtos contaminados foram vendidos nos supermercados. Segundo ele, 782 latas foram comercializadas e 602 clientes que as adquiriram foram identificados e avisados.

Falhas na distribuição

Na quarta-feira, o grupo francês Auchan, as redes Intermarché e Système U também declararam que o leite com salmonella chegou a circular em seus supermercados, mas já foi retirado “rapidamente” das vendas.

Em um comunicado, Carrefour também admitiu ter comercializado 434 produtos que deveriam ter sido retirados das prateleiras. Os supermercados alegam erros na distribuição. A Justiça francesa investiga o caso, mas o governo promete que tanto fabricante quanto distribuidores serão responsabilizados.

Hoje o ministro francês da Economia e Finanças, Bruno Le Maire, anunciou um reforço do controle para assegurar que os lotes do leite potencialmente contaminados sejam totalmente retirados de circulação. "É um caso grave, que trouxe à tona comportamentos inaceitáveis, que devem ser punidos", declarou.

Os responsáveis do setor foram convocados para uma reunião que ocorre nesta quinta-feira. O ministro ainda explicou que 2500 controles foram realizados pela Direção Geral do Consumo e da Repressão de Fraudes em lojas, farmácias, hospitais e creches, que permitiram identificar 91 estabelecimentos onde ainda havia latas do produto com Salmonella.