rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Homenagem Refém Atentado Cerimônia

Publicado em • Modificado em

Cerimônia em homenagem a policial francês que salvou refém em atentado será nesta quarta-feira

media
O tenente-coronel Arnaud Beltrame morreu depois de se entregar a um jihadista em troca de um refém Gendarmerie Nationale/Handout via REUTERS

A cerimônia nacional em homenagem ao tenente-coronel francês Arnaud Beltrame, que se transformou em um herói nacional depois de salvar um refém no atentado ocorrido em um supermercado sexta-feira (23) em Trèbes, no sudoeste, acontecerá nesta quarta-feira na Esplanada dos Inválidos. Papa enviou telegrama para homenagear gesto.


O anúncio foi feito em um comunicado divulgado pelo palácio do Eliseu, que confirmou a presença do presidente francês Emmanuel Macron. Ele pronunciará um discurso acompanhado de sua esposa, Brigitte, e da família da vítima do policial e das vítimas dos ataques em Trèbes e Carcassone.

Na sexta-feira, durante o ataque do jihadista Radouane Lakdim ao supermercado Super U, em Trèbes, Beltrame se entregou ao terrorista em troca da libertação de uma refém que estava sendo usada como escudo humano. Ele deixou seu celular ligado para que a polícia pudesse ouvir o que estava acontecendo dentro o supermercado. Durante cerca de duas horas e meia, ele ficou sozinho com o terrorista. Ferido com uma faca na garganta, ele não resistiu aos ferimentos e morreu no hospital. Seu ato emocionou toda a França.

O jihadista, que tinha três explosivos, uma arma e uma faca, foi morto pela polícia, depois de matar um cliente e um funcionário do supermercado. Antes de chegar ao local, ele roubou um carro, matando um passageiro e ferindo o motorista, e atirou em um grupo de policiais que corria perto de um quartel.

Depois do atentado, os investigadores prenderam sua companheira e um amigo, menor de idade. Lakdim, que deixou um testamento e agiu em nome do grupo Estado Islâmico, era monitorado por sua proximidade com o Islã radical, mas não dava indícios de um comportamento perigoso, segundo as autoridades francesas.

Papa elogia bravura de policial

O papa Francisco condenou nesta segunda-feira (26) o atentado no sudoeste da França e enviou condolências aos feridos e às suas famílias. Em um telegrama enviada para o bispo de Carcassone e Narbonne, o papa se disse “triste”, e falou com admiração do gesto “generoso e heróico” do policial francês que deu sua vida para proteger os outros.

O policial francês se converteu ao catolicismo aos 33 anos. Casado no civil, ele se preparava para a cerimônia religiosa, em junho. O padre Jean-Baptiste, da Abadia de Lagrasse, publicou uma carta comovente no Facebook, onde diz que o oficial "era apaixonado pela sua profissão, pela França, pela sua grandeza e história, e suas raízes cristãs, que ele redescobriu ao se converter".

O padre esteve no hospital em Carcassone, na sexta-feira (23), onde o policial estava internado, para entregar a extrema-unção. O oficial estava inconsciente, mas ainda vivo, acompanhado de sua mulher, Marielle.