rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Um pulo em Paris
rss itunes

Greves na França levantam debate sobre privatização do sistema ferroviário europeu

Por Silvano Mendes

A França enfrenta, desde o início de abril, um forte movimento de contestação no sistema de transporte ferroviário. A mobilização traz novamente à tona o debate da privatização do setor, tema já discutido em outros países europeus.

Os grevistas são contra um projeto do presidente francês, Emmanuel Macron, que pretende abrir as ferrovias à concorrência e transformar a empresa em sociedade anônima. Mesmo se o governo nega, os sindicatos defendem que essa medida abriria a porta para uma futura privatização do setor. Os empregados também protestam contra a supressão do estatuto especial dos funcionários públicos do sistema ferroviário no caso de novas contratações após essa reforma.

Além do impacto na vida dos empregados, uma das possíveis consequências seria o risco de supressão das linhas consideradas menos rentáveis. Com uma malha ferroviária de cerca de 30.000 km de extensão, a França possui uma das redes mais densas da Europa, atrás apenas da Alemanha. No entanto, muitas dessas linhas, principalmente entre cidades pequenas, são pouco usadas, mesmo se são importantes para os moradores daquelas regiões.

Vizinhos europeus já privatizaram ferrovias

Mesmo se o projeto de Macron não fala abertamente de privatização, o debate chama a atenção para o que foi feito nos países vizinhos, onde a questão de desengajamento do Estado no sistema ferroviário já foi tratada. A Alemanha, por exemplo, já privatizou seu sistema ferroviário e o resultado é frequentemente elogiado, a ponto de ser usado como uma referência para os que defendem a reforma na França.

Já no Reino Unido, onde o Estado não é mais responsável pelo transporte ferroviário, as críticas são inúmeras. Sucateado em algumas regiões e registrando atrasos importantes em várias linhas, o sistema britânico é acusado de propor serviços insuficientes por preços muito elevados. Só para ter uma ideia, trechos de cerca de 20 minutos de duração custam, em média, mais de 15 libras (R$ 73), apenas para um trajeto de ida. Os grevistas franceses geralmente usam o sistema inglês como um modelo de fracasso da privatização.

Loteria e sites de aposta lucram na França às vésperas da final da Copa do Mundo

Autolib': Paris abandona locação de carros elétricos e adota patinetes

França tem Copa sem telões, com presidente torcedor e música para Depardieu nas arquibancadas

França vai diminuir construção de prédios adaptados para pessoas com deficiência

Programa da prefeitura de Paris consegue reduzir desperdício de alimentos

França pune pedófilos que armazenam imagens de pornografia infantil com prisão e multa

Migrantes morrem afogados em canal de Paris e relançam debate sobre crise dos refugiados

Carências no sistema de moradia popular também provocam mortes na França

Paris inaugura primeiro centro de arte digital com exposição de pintores austríacos

Imprensa europeia dá crédito a Lula pelas conquistas sociais que promoveu no Brasil

Macron vai na contramão da Europa com escola obrigatória a partir dos 3 anos de idade

Franceses debatem mudanças na lei de bioética e maioria aprova barriga de aluguel

Paris terá marcha e vigília no fim de semana em homenagem a Marielle Franco

Governo francês multiplica ações para favorecer a igualdade de gênero

França vai estipular em 15 anos idade mínima legal para relação sexual