rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão destaca "crescimento chinês” do audiovisual brasileiro

Por Márcia Bechara

O ministro da Cultura, Sérgio Sérgio Sá Leitão, é o convidado desta terça-feira (12) do RFI Convida. Direto do Festival Internacional do Filme de Animação de Annecy, onde o Brasil é o país homenageado em 2018, ele falou sobre os novos investimentos para o setor do Audiovisual e dos projetos da pasta que comanda para setores como patrimônio e cultura popular.

*Para ouvir a entrevista na íntegra, clique na imagem acima

“Temos uma nova política para o Audiovisual no Brasil”, anunciou o ministro Sérgio Sá Leitão. “Estamos em 2018 fazendo um investimento recorde no setor audiovisual brasileiro, com RS$ 1,3 bilhão para diversas linhas de investimento. A animação é um segmento que vive um momento excelente no Brasil e tem condições de crescer muito”, disse.

O ministro ressaltou o peso econômico das diferentes “indústrias criativas do Audiovisual”. “São vetores do desenvolvimento do nosso país. Este setor já responde por 2,64% do nosso produto interno bruto e corresponde a mais de um milhão de empregos, mais de 200 mil empresas com um crescimento médio anual nos últimos cinco anos de 9,1% ao ano, uma taxa de crescimento chinesa”, ressaltou, mesmo em período de “recessão econômica”, disse, referindo-se a 2015 e 2016.

Sobre o espaço para experimentação e a inovação artística, Sérgio Sá Leitão garantiu que se preocupa em promover um “equilíbrio” no “ecossistema complexo” do audiovisual. “Considero muito importante que haja investimento e espaço para a produção mais autoral, isso tem seu papel, assim como também a produção mais comercial. Nossa visão é que é necessário um equilíbrio entre estes diversos agentes para que o ecossistema possa se desenvolver plenamente”, pontuou. O principal “drive” de fomento continua sendo o Fundo Setorial do Audiovisual, afirmou o ministro.

Outros setores da cultura brasileira somados possuem praticamente o orçamento destinado ao segmento audiovisual

“No caso das demais manifestações e expressões artísticas que não o audiovisual, nosso principal instrumento de fomento é a Lei Federal de Incentivo à Cultura, que é a Lei Rouanet. Temos RS$ 1,4 bilhão para investir este ano em projetos culturais de todas as áreas”, detalhou, acrescentando que existem iniciativas “complementares”.

“O Prêmio de Culturas Populares é voltado para mestres, mestras, associações e entidades que mantêm vivas as tradições populares da cultura brasileira. Temos um investimento recorde para esse prêmio em 2018, de R$ 10 milhões”, disse. “Estamos para lançar um prêmio também para mostras, feiras e festas literárias, que promovem o acesso ao livro e à leitura, além de um prêmio destinado à modernização de museus. Além disso, estamos investindo este ano R$ 168 milhões na restauração do patrimônio histórico brasileiro”, completou.

“Tudo que é feito na cultura que não é apenas para prazer e deleite individual tem valor econômico”, ressaltou Sá Leitão. “O que caracteriza a cultura e a criatividade como atividades econômicas é justamente o duplo valor, o valor simbólico e o econômico”, frisou o ministro.

Sabores do Brasil recebe “30% de brasileiros saudosos e 70% de franceses curiosos” em Paris

Inimigo no fascismo brasileiro é o pobre, diz pesquisadora do voto em Bolsonaro

Cantor Renato Fagundes traz a Paris tradição e modernidade da cultura gaúcha

Da extrema-direita à esquerda: populismo tem faces distintas na Europa e na América Latina, diz especialista

“Lula adiou troca e prejudicou campanha de Haddad”, diz analista David Fleischer

"Bolsa Família é grande aliado para quem deseja fazer ajuste fiscal no Brasil", afirma Marcelo Neri

Novo livro de Jean-Paul Delfino traz personagem imortal que viveu no Brasil

“Ataque corrobora ânimo de briga manifestado por Bolsonaro”, diz cientista político da UFMG

Em Perpignan, a fotógrafa brasileira Alice Martins expõe imagens da guerra na Síria

“Atlas do Agronegócio revela a complexa cadeia do setor agroindustrial”, diz coordenadora

"Assegurar preservação do patrimônio é responsabilidade da sociedade", diz presidente do Ibram sobre incêndio no Museu Nacional

“Quero nossa democracia de volta” pede cineasta brasileiro Fellipe Barbosa em Veneza

“Mulheres brasileiras sempre foram vistas como patrimônio do homem”, diz diretora-presidente da ONG Artemis

“Mulheres negras e indígenas representam o feminismo de resistência brasileiro”, afirmam pesquisadoras

Apesar da crise, brasileiros participam de Encontro Mundial das Famílias em Dublin

Instrumentalização política dos migrantes alimentou xenofobia em Roraima, diz professor da UFRR

"Tenho uma parte da história do Brasil nos meus arquivos", conta a fotógrafa Rosa Gauditano

Após turnê internacional, cantora Flávia Coelho volta ao estúdio em Paris para gravar 4° álbum