rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"Crianças francesas vão adorar ver Neymar numa situação tão humana e próxima deles", diz tradutora dos quadrinhos 'As aventuras de Neymar Jr'

Por Márcia Bechara

Foram lançados na França, Bélgica e Suíça os dois primeiros de uma série de três livros da revista em quadrinhos da Turma da Mônica com o personagem “Neymar Jr”, criada por Maurício de Souza em 2013 para homenagear o jogador de futebol.  A série traz o título "Les aventures de Neymar Jr" ("As aventuras de Neymar Jr", em português) e o primeiro volume foi lançado em junho na Europa. Os livros já estão disponíveis em livrarias, supermercados e plataformas virtuais para o público de língua francesa. O segundo volume em francês sobre o craque brasileiro saiu em 11 de julho, na reta final da Copa do Mundo. O RFI Convida hoje a tradutora dos quadrinhos de Neymar Jr, a francesa, de origem portuguesa, Nathalia Ferreira.

*Para ouvir a entrevista na íntegra, clique na foto acima

A tradutora conta que teve que adaptar a linguagem dos quadrinhos brasileiros com Neymar Jr para  o contexto francês. "Tive que fazer isso às vezes, a tradução é um exercício desafiador. Temos que ficar atentos ao espírito do próprio texto e às diferenças da língua portuguesa entre Brasil e Portugal", relata.

"São personagens novas, jovens, e a tradução implica num conhecimento prévio da cultura francesa, para tentar manter o espírito dos quadrinhos brasileiros", explica Nathalia. "Por exemplo, no trato entre as personagens, até mesmo nas pequenas expressões utlizadas nos diálogos, menos formais, tive que adaptar um pouco a linguagem oral para o contexto francês", diz a tradutora.

"O desafio é manter o aspecto genuíno da língua de origem e ao mesmo tempo alcançar uma sinceridade e transparência, que fique natural na língua traduzida [o francês]", conta Nathalia, que traduziu também o livro "Conversas com meu pai", de Neymar, quando se aproximou do português do Brasil.

Maurício de Souza, autor da série, tem um histórico de sucesso com personagens ligados ao mundo do futebol. Em 1977 lançou o Pelezinho, que conquistou leitores em todo o mundo, e foi publicado até 1986. Nathalia explica que não teve dificuldade ao encarar a tradução para o francês dentro deste contexto, porque "adora futebol".

"Acompanho o futebol português, brasileiro e francês. Nasci na França, onde morei 21 anos. Eu me sinto à vontade com as personalidades do futebol, que acompanho. Meu filho adorou o livro do Neymar Jr, ele que joga futebol. Acho que as crianças vão adorar ver o Neymar numa situação tão humana e tão próxima da realidade deles", afirma a tradutora.

As aventuras de Neymar Reprodução

"João Gilberto sintetizou o samba", diz Bernardo Lobo ao homenagear compositor em Paris

Em Paris, soprano brasileira Camila Titinger canta na ópera Don Giovanni

Artista plástico Oscar Oiwa expõe em Paris obras de três cidades ligadas pelas Olimpíadas

Revista Vesta discute os desafios das adoções que “não dão certo”

Série sobre índios da Amazônia rende prêmio a fotógrafa brasileira em Perpignan

Artista plástica radicada na França, Janice Melhem Santos exibe coletânea de obras

“Democracia brasileira está sendo golpeada por dentro”, diz, em Genebra, representante da OAB

"O maior problema da Amazônia é a impunidade”, diz fotógrafo italiano premiado por trabalho na região

Empresárias brasileiras visitam Paris para se “reconectarem com seu lado feminino”

Documentário da franco-brasileira Véronique Ballot revisita primeiro encontro entre índios e brancos no Brasil

Miriam Grossi: Cortes de bolsas da Capes podem levar pesquisadores a deixar o Brasil

“O Brasil sempre vai estar presente no meu jeito de fazer música”, diz cantora de jazz Agathe Iracema

Para grupo Brasileiras de Paris, misoginia de Bolsonaro não começou com Brigitte Macron, mas com Dilma

Sem mudança ambiental “radical”, perspectiva é “muito pessimista” para o agronegócio do Brasil

Afastamento de França e Brasil vem desde o impeachment, lembra cientista político

Banda Natiruts lota casa de shows em Paris com 'I love', "ampliando raízes" do reggae

Livro de brasileira radicada em Paris desmistifica glamour da capital francesa