rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Hamilton de Holanda faz nova turnê na Europa

Por Maria Paula Carvalho

Ele é conhecido na imprensa francesa como o “Príncipe do Bandolim”. No Brasil, ele é o Rei. Hamilton de Holanda está em turnê internacional: o artista faz show nesta quinta-feira (26), na Córsega, antes de seguir para a Inglaterra.

“Eu estou feliz demais por voltar à França, onde já toquei em diversos festivais no tempo que morei em Paris, em 2001. É uma alegria estar de volta e reencontrar algumas pessoas e esse ambiente que eu adoro”, conta o instrumentista.

Segundo os críticos, Hamilton de Holanda praticamente reinventou o bandolim, ao adicionar duas cordas extras, passando a 10 no total. O aumento do número de cordas, aliado à velocidade de solos e improvisos, inspirou toda uma nova geração a se aproximar deste instrumento. Nos Estados Unidos, a imprensa logo o apelidou de “Jimmy Hendrix do bandolim”.

“A gente pensa sempre em fazer algo que emocione, que nos agrade e agrade as pessoas, que de alguma maneira transforme a vida delas por alguns momentos. Fico feliz de ver o bandolim de dez cordas sendo tocado por outros músicos, ver jovens se interessando por esse instrumento”, diz o compositor. “É uma busca constante pela evolução, mas também valorizando os mestres como Dominguinhos, Pixinguinha ou Tom Jobim”, completa. “Eu gosto muito da música de outros países também, gosto do flamenco, do jazz, da música da Venezuela, música clássica”, explica, ao falar de suas influências.

Instrumento antes da alfabetização

Hamilton de Holanda começou a tocar aos 5 anos de idade e a se apresentar aos 6. Uma precocidade natural para quem é filho, neto, sobrinho e irmão de músicos. 

"É um presente que eu ganhei, ter grandes músicos sempre tocando comigo, ensaiando, e ter nascido nesse ambiente musical. Poder proporcionar momentos de alegria com a família e os amigos, isso sempre foi muito natural", lembra.

Uma bagagem familiar que, posteriormente, foi lapidada no bacharelado em Composição pela Universidade de Brasília e com a prática das rodas de choro e samba.

“Desde pequeno eu tive contato com a música popular nas rodas de choro e, ao mesmo, estudava os compositores clássicos. Eu sempre tive essa porta aberta para dois universos que são diferentes. Um representa a modernidade e o outro a tradição, mas o mais importante é o momento presente.”

Ao longo da carreira, Hamilton de Holanda coleciona diversos prêmios. O músico já teve oito indicações ao Grammy Latino, e foi vencedor em duas edições: em 2016, na categoria de Melhor Disco Instrumental com “Samba de Chico” e, em 2015, na categoria Melhor Canção Brasileira com “Bossa Negra”.

"Eu nunca deixo a relação com a música virar uma coisa rotineira ou chata, na verdade a música ajuda a descomplicar a vida", conclui.

 

 

Brasileira apresenta na Berlinale documentário sobre ocupação dos Sem Terra em Goiás

“Direito à comunicação no Brasil ainda é muito atrasado”, diz fundador de web rádio indígena

"Alastrar competitividade para toda a economia brasileira está no radar do governo", diz diretor-geral da OMC

Fotógrafo curitibano expõe em Paris obras inspiradas na espiritualidade

Orçamento participativo e Bolsa Família são as principais políticas públicas “exportadas” pelo Brasil

“Brasil tem volta da oligarquia com uma política de extrema direita”, diz sociólogo da UFRJ

Compositor francês Debussy influenciou até Bossa Nova, lembra maestro Isaac Chueke

“Brasil e França trabalharam pelo silenciamento da memória escravista”, diz historiadora

Escritora Telma Brites Alves lança em Paris seu livro "Gaia: A Roda da Vida"

Cantora brasileira mistura música árabe e nordestina em álbum “Brisa Mourisca”

Movimento dos Atingidos por Barragens quer garantias de reparação total de danos às vítimas de Brumadinho

"Precariedade das favelas é estimulada pelo próprio Estado", diz historiador

Human Rights Watch: partida de Jean Wyllys é “triste para a esquerda e a direita”

“Falta educação no projeto de governo Bolsonaro”, diz Renato Janine Ribeiro

Apoiar oposição a Maduro é ingênuo e perigoso, diz especialista da Unicamp

"Estrela no Guia Michelin brinda a amizade franco-brasileira”, diz chef Raphaël Rego

Brasil é país que mais cai em relatório sobre competitividade divulgado em Davos

“Europeu gosta de música brasileira com contexto histórico”, diz cantor Mario Bakuna