rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
A Semana na Imprensa
rss itunes

Revista revela casos de assédio sexual nos conservatórios musicais da França

Por Silvano Mendes

A revista francesa L’Obs traz esta semana uma longa reportagem sobre casos de assédio e agressão sexual nos conservatórios musicais da França. O texto conta como professores abusaram de alunos, muitas vezes durante anos, sem que as instituições reagissem.

A reportagem começa com a história de uma flautista que passou a ser assediada por seu professor aos 16 anos, quando integrou a Escola Normal de Música de Paris (ENM), uma das instituições mais prestigiosas do país. Temendo as represálias do mestre, que ameaçava impedir sua entrada no Conservatório Nacional Superior de Música e Dança da capital, onde ele também lecionava, a jovem foi abusada sexualmente, após as aulas, durante um ano.

Depois de quase dois anos de manipulação psicológica e agressões sexuais, ela teve coragem de denunciar o crime. Mas a justiça considerou que, nesse caso, não houve ameaça ou violência e o professor foi condenado a apenas quatro meses de prisão, cumpridos em liberdade. Traumatizada, a flautista abandonou a música e, em 2017, contou sua história nas redes sociais, desencadeando uma série de comentários de outras musicistas que se reconheceram no relato da jovem e algumas até identificaram o professor.

As ex-alunas afirmam que a instituição tinha conhecimento dos atos do funcionário e acusam a escola de negligência. “Eles são totalmente responsáveis”, declara outra vítima, que não cedeu à chantagem do mestre e denunciou o assédio. “Outros professores também sabiam”, afirma a jovem.

Tapinhas nas nádegas para marcar o ritmo

O texto da L’Obs traz diversas histórias do gênero, registradas em várias instituições francesas e afirma que, das 30 musicistas ouvidas pela reportagem, todas tinham algum episódio similar para contar. “Há desde os professores que aproveitam de supostos exercícios de respiração para acariciar o seio das alunas até mestres que marcam o ritmo da música dando tapinhas nas nádegas das estudantes”, enumera a revista. "Há casos de professores que são muito bons. Mas para passar nos concursos com a ajuda deles, é preciso ir para debaixo do piano", relatam, com ironia, alguns ex-alunos. 

L’Obs explica que, apesar de escândalos recentes envolvendo vários maestros, acusados de assédio e agressão sexual, como James Levine, Charles Dutoit e Daniele Gatti, as punições são raras. “As dezenas de condenações de professores de música diante de tribunais franceses dificilmente vão além das páginas policiais da imprensa regional”, explica a revista.

A reportagem enfatiza também a falta de punição severa quando esses abusos são revelados. Como o caso de quatro jovens que entraram com um processo conjunto contra o diretor de uma escola de música na região da Alsácia, no leste do país. Ele foi acusado de ameaça-las, tentando força-las a ter relações sexuais durante um ano, conta a revista. Em 2017 o homem foi condenado a quatro anos de prisão, três deles cumpridos em liberdade, e proibido de lecionar para menores durante três anos. No entanto, constata o texto, esse mesmo diretor continua trabalhando em duas orquestras nas quais há músicos menores de idade.

Primeiro trimestre do governo Bolsonaro é uma “bagunça”, diz revista francesa

Polícia francesa adota regras para abordagem e prisão de transgêneros

Revista francesa entrevista miliciano que mata para defender governo Maduro

Famílias rivais Bourbon e Orléans apoiam coletes amarelos apostando em retorno da monarquia na França

Índios contestam construção de muro de Trump em reserva na fronteira com o México

Revista francesa aponta motivos para temer nova crise financeira mundial

Revista francesa questiona se “casamento” entre Bolsonaro e Guedes vai funcionar

Prefeita curda de 31 anos dirige a reconstrução de Raqqa, ex-capital do EI na Síria

Revista francesa L’Express dá destaque aos novos “políticos extravagantes” do Brasil

Briga por terras indígenas no Brasil esconde catástrofe ecológica na Amazônia

Livreiro espalha ursos de pelúcia em bairro de Paris e cria laços entre vizinhos

Revista conta como artistas húngaros vivem com a política repressiva de Orban

Figurinos de Jean Paul Gaultier para Portela já despertam interesse dos franceses