rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Pintura Obras Nazismo

Publicado em • Modificado em

EUA devolvem quadro de Renoir roubado por nazistas à neta francesa de colecionador judeu

media
Imagem de filme que conta a história dos últimos momentos da vida artística do pintor Auguste Renoir. MARS DISTRIBUTION

As autoridades americanas devolveram nesta quarta-feira (11) à neta de um colecionador judeu um quadro do pintor Pierre-Auguste Renoir que havia sido roubado por nazistas. Intitulada “Duas mulheres num jardim”, a pintura seria revendida até que sua origem foi descoberta.


Os serviços do Procurador Federal de Manhattan e do FBI investigaram o caso e contactaram Sylvie Sulitzer, neta do colecionador Alfred Weinberger, vítima do roubo. O judeu fugiu de Paris, onde vivia, após a invasão alemã de 1940, deixando todas as suas preciosidades em um cofre que foi arrombado pelos nazistas um ano depois.

No fim da guerra, Alfred Weinberger voltou à capital francesa, mas apenas recuperou uma parte de seus bens. A neta, que chegou a conhecer o avô, não tinha a mínima ideia da história antes de receber o telefonema de um escritório de advogados alemães, von Trott zu Solz Lammek, no começo dos anos 2010, especializado em obras roubadas pelos nazistas. O quadro de Renoir estava na lista de artigos que jamais foram recuperados.

Quadro deve ser vendido pela neta para pagar compensação que recebeu por ter sido vítima de roubo

Com a ajuda do gabinete, as autoridades americanas puderam encontrar Sylvie Sulitzer e devolver, enfim, o quadro, numa cerimônia oficial organizada pelo Museu da Herança Judaica em Nova York. “Me sinto honrada de mostrar à minha família, onde quer que esteja, que após todo o sofrimento, ainda há justiça”, declarou a neta do colecionador.

Ainda faltam, para a integralidade da coleção de Weinberger, quatro quadros de Renoir e um de Delacroix – não existe pista de onde as obras possam estar. Sylvie Sulitzer disse que vai, sem dúvida, vender o artigo para poder devolver aos governos francês e alemão a compensação financeira que recebeu por ter sido vítima de roubo por nazistas. “Eu gostaria muito de poder guardá-lo”, disse.