rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Medicina cidades Saúde

Publicado em • Modificado em

França: para lutar contra "deserto médico", deputado cria centros de saúde em caminhonetes

media
França tem dificuldades para contratar médicos para se instalar no exterior pixabayCCO/DarkoStojanovic

Um empresário de Lyon, no sudeste da França, e um deputado do partido A República em Marcha, do presidente Emmanuel Macron, querem criar centros de saúde em caminhões para facilitar a vida de moradores de cidades pequenas, conhecidos como “desertos médicos”.


“Por que não podemos levar o médico para atender nas cidades dentro de um caminhão?”, questiona o deputado Jean-Louis Touraine. Segundo o deputado, quatro centros de saúde vão abrir as portas no primeiro trimestre de 2019 nas localidades de Bourg-en-Bresse, Annonay, Puy-en-Velay e Givors, no sul de Lyon. O conceito, explica, é simples.

As quatro caminhonetes que dependem desses centros vão circular várias vezes por semana nas quatro cidades, que não conseguem encontrar um médico que aceite se instalar em lugares tão pequenos. Se a experiência der certo, eles esperam expandir a ideia para o resto do território.

Abandonar a ideia de ter um médico por cidade

“Temos que rever o conceito francês de ter um médico por cidade. Os jovens querem trabalhar em grupo, em certos horários, para ter um equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Não podemos impor a um profissional que ele se instale em um lugar, onde ele não quer”, diz Jean-Louis Touraine. “Tudo então será feito para atrair o profissional e fazer com que ele queira continuar na região.

Cada centro terá um funcionário que vai se encarregar da parte administrativa, e o assalariado poderá alternar consultas em centros de saúde fixos, em caminhões, áreas urbanas sensíveis ou na zona rural, para “evitar a monotonia”.

O investimento global é de cerca de € 8 milhões, financiados em parte pela região de Auvergne-Rhône-Alpes, no leste do país, e a Agência Regional da Saúde. As áreas percorridas serão escolhidas com as autoridades de saúde. O projeto será gerenciado por uma associação criada para a ocasião.