rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

“Muita gente procurava uma confeitaria menos doce”, diz chef francês radicado em Brasília

Por Elcio Ramalho

Dono de confeitaria em Brasília, o chef francês Daniel Briand mudou-se para o Brasil há 23 anos. Em entrevista à RFI, ele afirma que foi um dos pioneiros dessa arte culinária na cidade realizada por Oscar Niemeyer e ressalta que a ausência de açúcar em suas receitas foi o que deu sucesso a seu negócio.

“No início, minha clientela vinha do Itamaraty, eram jornalistas, pessoas de passagem", afirma Daniel Briand. "Eles reclamavam porque as minhas tortas, menores, custavam o mesmo preço que as tortas brasileiras tradicionais, que são maiores. Mas aos poucos foram descobrindo e começando a gostar.”

Daniel Briand afirma que não precisou adaptar suas receitas francesas ao paladar brasileiro, que é mais açucarado. “Na França, sempre procurei colocar cada vez menos açúcar, menos gelatina. Quando abri minha confeitaria em Brasília, decidimos fazer desse jeito. E foi o que deu sucesso para a gente. Muita gente, há vinte anos, já procurava uma confeitaria menos doce”, lembra.

Mercado brasileiro mudou

“Em 1993, não tinha manteiga sem sal no Brasil. Era complicado”, afirma o chefe. “Mas quando você começa a criar um mercado, o próprio mercado reage e hoje tem manteigas feitas artesanalmente. Isso é muito bom.”

Questionado sobre sua comida preferida, Briand responde que “não é de comer, é a caipirinha”. Ele também conta que gosta de ir aos self-services brasileiros, além de apreciar a carne e a mandioca. E revelou, por fim, o que menos gosta. “Jaca é complicado para mim”, brinca.

Após sucesso na estreia, Grupo Sociedade Recreativa lança segundo álbum na França

“Lagerfeld era o camaleão da moda”, lembra estilista brasileiro Gustavo Lins

Fome Zero seguirá como meta da ONU para erradicar fome no mundo, afirma José Graziano

Brasileira apresenta na Berlinale documentário sobre ocupação dos Sem Terra em Goiás

“Direito à comunicação no Brasil ainda é muito atrasado”, diz fundador de web rádio indígena

"Alastrar competitividade para toda a economia brasileira está no radar do governo", diz diretor-geral da OMC

Fotógrafo curitibano expõe em Paris obras inspiradas na espiritualidade

Orçamento participativo e Bolsa Família são as principais políticas públicas “exportadas” pelo Brasil

“Brasil tem volta da oligarquia com uma política de extrema direita”, diz sociólogo da UFRJ

Compositor francês Debussy influenciou até Bossa Nova, lembra maestro Isaac Chueke

“Brasil e França trabalharam pelo silenciamento da memória escravista”, diz historiadora

Escritora Telma Brites Alves lança em Paris seu livro "Gaia: A Roda da Vida"

Cantora brasileira mistura música árabe e nordestina em álbum “Brisa Mourisca”

Movimento dos Atingidos por Barragens quer garantias de reparação total de danos às vítimas de Brumadinho

"Precariedade das favelas é estimulada pelo próprio Estado", diz historiador

Human Rights Watch: partida de Jean Wyllys é “triste para a esquerda e a direita”

“Falta educação no projeto de governo Bolsonaro”, diz Renato Janine Ribeiro

Apoiar oposição a Maduro é ingênuo e perigoso, diz especialista da Unicamp