rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

“Muita gente procurava uma confeitaria menos doce”, diz chef francês radicado em Brasília

Por Elcio Ramalho

Dono de confeitaria em Brasília, o chef francês Daniel Briand mudou-se para o Brasil há 23 anos. Em entrevista à RFI, ele afirma que foi um dos pioneiros dessa arte culinária na cidade realizada por Oscar Niemeyer e ressalta que a ausência de açúcar em suas receitas foi o que deu sucesso a seu negócio.

“No início, minha clientela vinha do Itamaraty, eram jornalistas, pessoas de passagem", afirma Daniel Briand. "Eles reclamavam porque as minhas tortas, menores, custavam o mesmo preço que as tortas brasileiras tradicionais, que são maiores. Mas aos poucos foram descobrindo e começando a gostar.”

Daniel Briand afirma que não precisou adaptar suas receitas francesas ao paladar brasileiro, que é mais açucarado. “Na França, sempre procurei colocar cada vez menos açúcar, menos gelatina. Quando abri minha confeitaria em Brasília, decidimos fazer desse jeito. E foi o que deu sucesso para a gente. Muita gente, há vinte anos, já procurava uma confeitaria menos doce”, lembra.

Mercado brasileiro mudou

“Em 1993, não tinha manteiga sem sal no Brasil. Era complicado”, afirma o chefe. “Mas quando você começa a criar um mercado, o próprio mercado reage e hoje tem manteigas feitas artesanalmente. Isso é muito bom.”

Questionado sobre sua comida preferida, Briand responde que “não é de comer, é a caipirinha”. Ele também conta que gosta de ir aos self-services brasileiros, além de apreciar a carne e a mandioca. E revelou, por fim, o que menos gosta. “Jaca é complicado para mim”, brinca.

Artista Zeh Palito tem exposição adiada por causa dos “coletes amarelos”

“Favela é o maior resumo do Brasil”, afirma ativista do Complexo do Alemão

“Caso Coaf prova que Bolsonaro nunca foi ‘outsider’”, afirma Manuela D’Ávila em Roma

“PT não promoveu alfabetização política no Brasil”, diz Frei Betto

Cineasta Marcelo Novais lança em Paris um “diário íntimo de uma geração”

Incêndios e barricadas substituíram greves como forma de protesto na França, diz especialista

Representante dos delegados da Polícia Federal diz ser contra banalização das armas no Brasil

Lia Rodrigues volta à Paris com “Fúria”, coreografia com moradores da favela da Maré

Militares nomeados por Bolsonaro são mais moderados do que ministros, diz Leonardo Sakamoto

“Comunidade internacional espera responsabilidade ambiental do Brasil”, diz especialista

Paris recebe Bazar de Natal com artesanato de mulheres de favelas cariocas

Fotógrafo brasileiro lembra 30 anos da morte de Chico Mendes com exposição em Paris

Músicos Francis e Olivia Hime homenageiam Vinicius de Moraes na França

“Ser estrangeiro me fez escritor”, diz Natan Barreto, que lança livro de poesias em Paris

“Discurso de Bolsonaro legitima ‘direito de matar’”, afirma professora da Universidade de Brasília