rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Pianista brasileira divulga Villa-Lobos pelo mundo

Por Paloma Varón

Simone Leitão é pianista brasileira com doutorado em musicologia nos Estados Unidos. Especialista em obras do brasileiro Heitor Villa-Lobos para piano e orquestra, ela está em Paris, como parte de sua turnê mundial.

“Eu toquei na Grécia, na Inglaterra, antes de vir aqui para Paris, daqui eu vou para Quito, Curaçao, Miami, Los Angeles, San Francisco, Salvador, com a Orquestra Jovem da Bahia, depois vou ao Carnegie Hall, em Nova York, e Costa Rica em seguida”, conta a pianista, que empreende uma turnê solo.

Com a exceção da capital baiana, em todas as outras cidades ela se apresentará sozinha ao piano. Ela compara a escolha do repertório musical a uma experiência gastronômica.

“A responsabilidade é completamente sua quando você parte em turnê solo. É como se eu estivesse preparando um jantar para convidados. Eu tenho que pensar no que pode abrir o apetite, no que pode alimentar, no que pode ser um appetizer, no final…”

Villa-Lobos

Especialista no compositor brasileiro Heitor Villa-Lobos (1887-1959) conta que fez a sua tese nas suas obras para piano e orquestra, que são dez, e que focou em “Momo precoce”, parte de uma obra que ele escreveu em Paris, em 1928, chamada “Carnaval das Crianças”, uma peça descritiva com personagens do Carnaval infantil.

“Foi uma ideia da pianista brasileira Magda Tagliaferro, que vivia aqui, para o gosto parisiense em 1928. E virou a grande obra dele (de Villa-Lobos)”, conta.

“Eu toco também composições de um brasileiro que tem apenas 40 anos, o André Mehmari, que escreveu uma obra para mim, chamada ‘Grande Baião de Concerto’”, relata.

“É uma responsabilidade enorme tocar Villa-Lobos aqui, porque ele era basicamente um compositor franco-brasileiro, bem carioca, mas com uma formação francesa”, explica a pianista, que gosta de tocar “Ciclo Brasileiro”, do compositor.

Privilégio

Leitão considera um privilégio ser uma artista brasileira e poder mostrar a música brasileira de concerto para o mundo. Ela diz que tem como missão divulgar a música brasileira na Europa e nos Estados Unidos, além de mostrar peças europeias ao público brasileiro.

A pianista criou a Academia Jovem Concertante, que reúne jovens brasileiros que querem seguir a carreira de músico dentro da música de concerto e se juntam três vezes ao ano para depois apresentar concertos em diversas salas nas grandes e pequenas cidades brasileiras.

O projeto educacional contribui, além da formação de novos músicos, para a atração de um novo público para a música de concerto. “É maravilhoso ver a juventude brasileira tocando música com uma paixão que só nós temos”, conclui.

“Europeu gosta de música brasileira com contexto histórico”, diz cantor Mario Bakuna

Decreto de Bolsonaro sobre armas trará mais violência, alerta Instituto Sou da Paz

"Bolsonaro afeta a imagem do Brasil", diz Fernando Henrique Cardoso em Paris

“Bolívia deu uma lição de moral no Brasil ao extraditar Battisti”, diz ex-deputada ítalo-brasileira

“Passamos 80% do nosso tempo negociando”, diz criador de novo método de negociação e gestão de conflito

Brasil será interlocutor dos EUA nas relações com Maduro, aponta pesquisador

Especialista da UFMG sobre política do novo governo: “No Brasil, índio bom é índio morto”

Relações entre Brasil e França vão se deteriorar com política ambiental de Bolsonaro, diz pesquisador

Pianista brasileiro investe no Tango para seu primeiro concerto parisiense

“Com FUNAI já era difícil demarcar terras indígenas, com ruralistas será mais complicado” diz ativista de ONG

Projeto político de Bolsonaro cria desconfiança na Europa, diz historiadora francesa

"Congresso muito fragmentado será obstáculo para governo Bolsonaro", diz professor da UERJ

“Bolsonaro começa mandato pressionado e tem três meses para mostrar a que veio”, diz especialista em economia.

Autora brasileira radicada na França lança livro de memórias de viagens na Amazônia

"Intervenção federal no RJ também foi marcada pela falta de transparência e respostas sobre violações", diz coordenador de Observatório

Direitos Humanos no Brasil: perspectivas para 2019 são preocupantes, diz advogada da OAB

“Postura de Bolsonaro com a imprensa tem inspiração autoritária”, diz Eugênio Bucci

Congresso será a maior dificuldade para aprovar medidas contra a corrupção, diz fundador da ONG Contas Abertas

“Brasil poderá crescer até 3,5% em 2019 se aprovar reformas”, afirma economista