rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Ameaça Armas Escola Violência

Publicado em • Modificado em

França: aluno que ameaçou professora com arma falsa é indiciado

media
O ministro da Educação francês Jean-Michel Blanquer RFI

O ministro francês da Educação Nacional, Jean-Michel Blanquer, prometeu “reestabelecer a ordem” nas escolas, um dia depois do indiciamento de um estudante que ameaçou uma professora com uma arma falsa em Créteil, na região parisiense. A cena foi filmada e viralizou nas redes sociais.


Blanquer se disse “chocado e escandalizado” com o vídeo e prometeu “ampliar” o trabalho que vem sendo realizado com o ministro do Interior, Christophe Castaner. "Vamos responder em termos educativos e com sanções. Os conselhos de disciplina devem acontecer sempre que for necessário”, declarou Blanquer em entrevista ao jornal “Le Parisien”. Segundo ele, o aluno certamente será expulso da escola.

O menino de 15 anos, que foi detido para interrogatório na sexta-feira (19) passada, foi indiciado neste domingo (21) por um juiz da Vara da Infância e da Adolescência por violência contra um professor dentro de um estabelecimento escolar. Ele também foi proibido de morar na região de Val de Marne, onde fica a escola.

O presidente francês, Emmanuel Macron, publicou neste sábado uma mensagem no Twitter pedindo aos dois ministros que tomassem todas as medidas necessárias para que os fatos fossem punidos e não se reproduzissem nas escolas francesas.

“Vamos reestabelecer a ordem”

O ministro da Educação e do Interior se reunirão nesta semana para discutir a criação de um “conselho estratégico”, encarregado de “coordenar as ações envolvendo a segurança dentro e fora dos estabelecimentos”, para também coibir as rixas entre grupos rivais na saída dos liceus. "Vamos reestabelecer a ordem nos estabelecimentos, principalmente aqueles em situação de desordem”, repetiu Blanquer.

O ministro da Educação pediu aos estabelecimentos que aplicassem o direito de proibir a utilização dos telefones celulares. A lei entrou em vigor na volta às aulas em setembro, depois de ter sido adotada em agosto.