rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Esportes
rss itunes

França quer criar paixão olímpica com selo inédito “Terra dos Jogos 2024”

Por Stephan Rozenbaum

A RFI conversou com o presidente do comitê organizador dos Jogos Olímpicos de Paris 2024, Tony Estanguet, que revelou sua vontade de envolver todo o território francês nos preparativos da maior competição esportiva mundial. O ex-canoísta tem viajado pelo país para se encontrar com centenas de prefeitos.

“Queremos que esses jogos sejam de todos os franceses e é preciso ir além do evento esportivo em si. Penso que é preciso aproveitar esse momento para reposicionar o esporte e seus princípios no centro da vida de todos nós”, afirmou Tony Estanguet, principal nome do comitê de organização dos jogos de Paris 2024.

A ideia é convidar os estados e municípios a se envolverem cada vez mais. Para isso três grandes eixos foram traçados: colocar a prática esportiva em destaque (inclusão e ações envolvendo educação e saúde), incentivar o envolvimento da população com os Jogos (fan-zones, programas de voluntários, olímpiadas culturais), e pensar em como juntar os franceses, informá-los, para que passem a fazer parte da “família Paris 2024”.

“Para isso temos grandes parceiros: o mundo esportivo e os atletas, as pessoas já envolvidas diariamente na organização dos jogos, como o governo, a prefeitura de Paris e a região metropolitana, sem esquecer todos os grandes e pequenos municípios que serão muito importantes para o sucesso dos Jogos de Paris 2024”, ressaltou Estanguet.

Selo “Terra dos Jogos 2024”

As regiões mais criativas, que mostrarão maior engajamento, receberão o selo “Terra dos Jogos 2024”. “É algo inédito na história dos Jogos Olímpicos. Este selo foi criado para incentivar o engajamento de todos os munícipios. Precisamos da ajuda das autoridades locais para chegar até todos os franceses. Queremos envolver até mesmo as pequenas cidades, vilarejos, pois não é uma questão de tamanho ou de investimento, mas sim de vontade”, explicou Estanguet.

Pela primeira vez, um projeto olímpico oferecerá uma marca distinta a todos aqueles que desejem embarcar na “aventura”. Começando já em 2019, para não cair na tentação de ficar aguardando a chegada do evento para iniciar as atividades.

O comitê organizador francês está elaborando os critérios de atribuição do selo, e adaptará o nível de exigência que se adaptarão ao tamanho das cidades, dos estados e das regiões. Uma plataforma online ficará à disposição dos municípios onde os responsáveis poderão compartilhar e se inspirar de ideias de outras cidades. A cidades poderão usar o logo “Terra dos Jogos 2024”, seguindo algumas regras, para divulgar as ações. “Queremos deixar uma herança duradoura, e de criar ações que envolvam o esporte, mas também a saúde, a inclusão e a educação”, finalizou Tony Estanguet.

Handebol: Haniel Langaro sonha com grandes clubes da Europa e Tóquio 2020

Lesão de Neymar gera dúvidas sobre futuro do PSG na Liga dos Campeões

Melhor dupla brasileira no Dakar 2019 prefere que rally continue na América do Sul

Brasil disputa Mundial de handebol impactado por corte de verbas e patrocínio

Retrospectiva 2018: relembre os principais fatos que marcaram o ano no esporte

Principal desafio da CBF na preparação para Copa do Mundo de futebol feminino é reunir jogadoras

Andrei Girotto, ex-Palmeiras, elogia técnico "linha dura" mas sente falta da descontração brasileira

Brasil perde invencibilidade no futebol de areia e fica em terceiro na Copa Intercontinental de Dubai

Maior jóquei brasileiro é homenageado no Hipódromo de Chantilly na França

"Isto não me afeta", diz jogador brasileiro vítima de racismo na Europa

"CBF é uma das confederações mais atuantes contra o racismo", diz autor de livro

Lutadora brasileira de 17 anos faz história no Mundial juvenil na Hungria

“Gostaria que não fosse necessário um time gay”: jogadores se unem contra o preconceito