rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Paris Coletes Amarelos Édouard Philippe Protestos Manifestação

Publicado em • Modificado em

Vídeo com boxeador atacando polícia em protesto de 'coletes amarelos' tem 5 milhões de visualizações na França

media
Momento em que ex-campeão de boxe parte para cima de policiais franceses durante protesto dos "coletes amarelos" em Paris, em 5 de janeiro de 2019. Captura de vídeo

O homem cujas imagens viralizaram na França entre domingo (6) à noite e segunda-feira (7) é Christophe Dettinger, 1,92m, 91 quilos, antigo campeão da França de boxe da categoria peso médio, em 2007 e 2008. No vídeo divulgado nas redes sociais, um indivíduo alto e forte, sem nenhum tipo de proteção, aparece do meio dos “coletes amarelos” e ataca um policial. O agente das forças de ordem vai ter que ficar em casa durante duas semanas depois da agressão, por razões médicas.


(Assista ao vídeo no fim da matéria)

O grandalhão que aparece nas imagens dando socos em um policial francês, durante a manifestação deste sábado dos "coletes amarelos" em Paris, é ninguém menos que um ex-campeão francês de boxe dos pesos médios, Christophe Dettinger. Ele se entregou à polícia nesta segunda-feira, explicando que reagiu mal após ser atingido por bombas de gás lacrimogêneo lançadas pelas forças de segurança para conter o protesto.

Levei gás lacrimogêneo, junto com minha mulher e meus amigos. Num determinado momento, a fúria subiu em mim. Sim, reagi mal. Eu me defendi ", admite. "Sim, eu queria avançar contra a polícia”, afirmou Dettinger, num vídeo publicado no Twitter.

A notícia foi anunciada pelo ministro do Interior da França, Cristophe Castaner. "O indivíduo que atacou violentamente a polícia na passarela Senghor, no sábado, apresentou-se aos inspetores da Segurança Territorial de Paris. Ele foi colocado em prisão preventiva e será responsabilizado pela Justiça", escreveu Castaner, também no Twitter.

A polícia francesa já tinha ido à casa do ex-boxeador no domingo. Na ocasião, um membro de sua família informou as autoridades que o ex-campeão de boxe, que pendurou as luvas em 2013 e agora é funcionário da administração do departamento de Essonne (sul de Paris), se apresentaria à polícia na segunda-feira.

Governo francês quer adotar “nova lei” contra “vândalos”

Reunido nesta segunda-feira, o governo francês se declarou a favor da adoção de uma nova lei para punir os participantes de manifestações “não-declaradas”, anunciou o premiê Édouard Philippe, em resposta à violência dos "coletes amarelos" no sábado.

"Devemos preservar a liberdade de se manifestar na França e punir aqueles que querem violar este direito de protestar ", disse o primeiro-ministro no canal de TV TF1. "Essa é a razão pela qual o qual o governo é a favor que uma nova lei seja adotada para sancionar aqueles que não respeitam esta obrigação de declarar oficialmente os protestos, e aqueles que participam de eventos que não são declarados", disse.

"Aqueles que chegam em eventos com capuz, hoje em dia isso é uma contravenção, amanhã será um crime", acrescentou Philippe, pedindo para "garantir que a responsabilidade civil dos vândalos seja seriamente levada em conta, para que sejam eles que paguem, e não os contribuintes, pelos danos que causados".

A nova lei poderá ser discutida na Assembleia Nacional "desde o início de fevereiro", disse o chefe de governo francês. Desde o início do movimento, mais de 1.500 pessoas ficaram feridas, 53 delas com gravidade, entre os manifestantes, e quase 1.100 entre as forças de segurança. Além disso, dez pessoas morreram, principalmente em acidentes à margem do bloqueio de rodovias. Segundo a polícia francesa, as manifestações dos "coletes amarelos" deixaram um saldo de mais de 5 mil prisões preventivas e mil condenações desde seu início, em 17 de novembro de 2018.