rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Um pulo em Paris
rss itunes

“Coletes amarelos”: Macron organiza debates com franceses e reconquista popularidade

Por Silvano Mendes

O presidente da França, Emmanuel Macron, se lançou em uma corrida para reconquistar a confiança dos franceses. Em plena crise dos “coletes amarelos”, o chefe de Estado tem participado de debates públicos e viu sua popularidade subir, após meses sofrendo de uma imagem arranhada.

Desde 15 de janeiro, o governo francês lançou o Grande Debate Nacional, iniciativa que visa responder às reivindicações dos “coletes amarelos”. Além de questões enviadas pela população aos prefeitos, o próprio presidente Macron colocou a mão na massa e tem participado de sabatinas públicas nas quais responde, ao vivo, as perguntas da população.

Na quinta-feira (24), o chefe de Estado chegou a fazer uma aparição surpresa em uma reunião dos “coletes amarelos” na pequena cidade de Bourg-de-Péage, no sul do país, durante a qual dialogou com os participantes.

A postura de Macron tem surtido efeito. Uma pesquisa divulgada nesta sexta-feira (25) aponta que a popularidade do presidente, que havia caído 15% entre junho e novembro de 2018, subiu cerca de 4 pontos desde o início do Grande Debate Nacional. Ele beneficia agora de 31% de opiniões positivas.

Ainda não se sabe se medidas concretas vão resultar dessas conversas públicas. Mas em termos de imagem, a estratégia do presidente tem apresentado resultados positivos.

Ministra é criticada ao apresenta talk show polêmico

Dentro dessa busca de proximidade do governo com a população, a secretária de Estado Marlène Schiappa, responsável pela pasta da Igualdade entre homens e mulheres e a luta contra as discriminações, participa nesta sexta-feira de um programa humorístico na televisão. A iniciativa, no entanto, está sendo bastante criticada, em razão do tipo de atração escolhida por um membro do governo para abordar o Grande Debate Nacional.

O programa Touche Pas a Mon Poste (Não mexe com a minha TV, em tradução literal) é conhecido por seu tom muitas vezes vulgar, e já chegou a ser alfinetado várias vezes pelas tiradas sexistas e homofóbicas de seu apresentador, Cyril Hanouna. A ministra é acusada de apelação e até de populismo, enquanto seus defensores afirmam que as críticas são apenas um sinal de esnobismo, e que mesmo quem não assiste aos programas ditos “sérios” também têm o direito de participar de discussões sobre o futuro do país.

Incêndio em Notre-Dame levanta debate sobre preservação do patrimônio na França

França registra criação de empregos, mas "coletes amarelos" mantêm protestos

Pirâmide do Louvre comemora 30 anos com instalação do artista urbano JR

França se prepara para possível ação de black blocs durante 19° ato dos “coletes amarelos”

Associações propõem que políticos franceses vivam 15 dias “na pele de um pobre”

Humoristas francesas de stand up dão novo fôlego às causas feministas

Francês se aposenta com 62 anos, mas contribui 40 anos para receber a metade do que ganhava na ativa

Incêndios na mesma semana em CT do Flamengo e Paris levantam questões de segurança

Prostituição: Conselho Constitucional da França valida lei que pune clientes

Depredação de radares vira "basta" a suposta "indústria da multa" na França

Fracasso de “Passe Livre” em Paris levanta debate sobre transporte gratuito nas metrópoles

Franceses enfrentam 2019 com imposto retido na fonte e multiplicação de movimentos sociais

Paris mantém magia de Natal em meio à crise social dos "coletes amarelos"

Segurança reforçada na França para 5° fim de semana de protestos dos “coletes amarelos”

Manifestação de "coletes amarelos" fecha lojas, museus e cancela eventos em Paris