rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
  • Acordo do Brexit recebe apoio preliminar do Parlamento britânico

França Pedofilia Padre Escândalo Igreja Católica

Publicado em • Modificado em

Padre causa polêmica ao dizer que “não existe violência em estupro” na TV francesa

media
O abade Alain de la Morandais. Alain JOCARD / AFP

A participação do abade Alain de La Morandais num popular programa de televisão da França, causou polêmica na França nesta segunda-feira (18). O assunto era o escândalo envolvendo as acusações de pedofilia no coração da Igreja Católica. O padre, no entanto, deixou público e participantes perplexos com suas declarações sobre a relação entre crimes sexuais e crianças, e se tornou um dos assuntos mais discutidos nas redes sociais francesas nesta terça-feira (19).


"Diz-se sempre que estupro é violência, mas, a princípio, eu não penso assim". A declaração do abade Alain de La Morandais causou protestos depois de sua intervenção no canal de televisão LCI [do Senado francês] nesta segunda-feira (18).

Entrevistado durante um debate sobre a pedofilia na Igreja, após a condenação do cardeal francês Philippe Barbarin por ocultamento de agressão sexual, o padre de 83 anos disse ter escutado em diversas confissões que "uma criança procura espontaneamente a ternura de um homem ou uma mulher (...) Muitas vezes são crianças com frustração de ternura".

Em seguida, a jornalista Audrey Crespo-Mara lembrou o padre de que "a responsabilidade [de um crime sexual] está no adulto". Neste momento, o abade de La Morandais replicou dizendo: "Vocês todos devem ter notado que uma criança, ela vem e te beija na boca". As falas do abade durante o programa foram replicadas em outros programas de TV na França.

"Justificativas desprezíveis"

As declarações do abade provocaram uma enxurrada de reações indignadas nas redes sociais francesas. "Ao invés dessas justificativas desprezíveis, peça perdão a todas as crianças vítimas de padres pedófilos", twittou a ex-secretária de Estado da França, Juliette Méadel. "Condeno fortemente as palavras do abade de La Morandais", tuitou Michel Aupetit, o arcebispo de Paris.