rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Paris Coletes Amarelos Manifestação Protestos

Publicado em • Modificado em

“Coletes amarelos” fazem protesto mais fraco desde início do movimento na França

media
Jerome Rodrigues, uma das figuras-chave dos "coletes amarelos", durante protesto deste sábado, 6 de abril, no Grande Arco de La Défense, em Paris. REUTERS/Benoit Tessier

Pelo quinto mês consecutivo de mobilização, os "coletes amarelos" se reuniram novamente em várias cidades da França neste sábado (6). A mobilização nacional reuniu 22.300 participantes, incluindo os 3.500 manifestantes em Paris. As informações são do Ministério do Interior. Essa é a mobilização mais fraca desde o início do movimento.


O 21º sábado de protesto acontece três dias depois da censura de um artigo-chave da "lei antivandalismo" da França, que previa proibições administrativas para protestos e dois dias antes da apresentação, nesta segunda-feira (8), de um primeiro resumo das contribuições  recolhidas durante o grande debate nacional, proposto pelo presidente francês Emmanuel Macron.

De acordo com o Ministério do Interior da França, o protesto deste sábado (6) apresentou o menor nível de participação desde o primeiro sábado de manifestações dos “coletes amarelos”, em 17 de novembro de 2018. Cerca de 282.000 pessoas protestaram na ocasião em toda a França, um número nunca ultrapassado depois disso.

“Coletes amarelos” falam em 73.420 manifestantes

Na página Facebook do "Número Amarelo", que conta os manifestantes, os "coletes amarelos" reivindicaram uma "primeira baixa estimativa" de 73.420 participantes na França. Em todo o território, as manifestações ocorreram sem grandes incidentes.

Em Paris, o protesto principal, saindo da Praça da República, se dirigiu à esplanada do distrito comercial de La Défense, a oeste. Os manifestantes, que denunciavam a política fiscal de Macron, se reuniram nos degraus do Grande Arco, monumento local, antes de se dispersarem silenciosamente no final da tarde.

"La Défense é o símbolo do capitalismo excessivo, a sede de grandes empresas que enchem seus bolsos graças a nós", resumiu Valerie, 50 anos, que deseja "um retorno do ISF”, o imposto sobre a riqueza. "É o fim do sistema capitalista, está morto e estamos celebrando", disse o cantor francês Francis Lalanne, vestindo um colete amarelo. No caminho, alguns manifestantes tentaram descer pela estrada circular, antes de serem rapidamente repelidos pela polícia com a ajuda de gás lacrimogêneo.

A convocação para este evento foi retransmitida por Eric Drouet, uma das figuras-chave do movimento. Ele foi multado na manhã deste sábado (6) perto da avenida de Champs-Elysées por "participar de um evento proibido", segundo uma fonte policial. Uma multa "devido à minha notoriedade e minha presença nos Champs", disse ele no Facebook.