rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
Um pulo em Paris
rss itunes

França tenta regulamentar uso de patinetes elétricas para evitar acidentes

Por Silvano Mendes

A França é o maior mercado europeu de patinetes elétricas. Diante do número crescente de equipamentos nas ruas das grandes cidades, as autoridades locais tentam impor uma legislação específica.

O Senado francês adotou em abril, em primeira leitura, uma nova legislação sobre a mobilidade nas cidades. O texto segue a linha das normas europeias, que tentam limitar a velocidade das patinetes elétricas a 25 km/h nas ciclovias e 6 km/h nas calçadas.

Além disso, a deputada Laurianne Rossi, do partido do governo, República em Marcha, propôs esta semana uma emenda ao texto para tornar obrigatórios o uso de capacetes e luvas de segurança para todos os usuários de patinetes elétricas.

Mais de 15 mil patinetes em Paris

Por ser uma cidade relativamente plana, a capital francesa sempre acolheu muitas patinetes, antes mesmo da chegada dos equipamentos elétricos. Mas desde que várias empresas decidiram implementar o serviço de compartilhamento de aparelhos motorizados, os moradores têm assistido uma invasão em suas ruas.

Paris tem cerca de 15 mil patinetes elétricas circulando e estima-se que esse número pode chegar a 40 mil até o final de 2019. Além dos aparelhos adquiridos por particulares, 10 operadores diferentes, inclusive a Uber, propõem patinetes elétricas em um sistema de aluguel na capital francesa.

Os preços variam pouco de um prestador para outro. Geralmente o usuário paga € 1 para desbloquear o equipamento e, em seguida, € 0,15 em média por minuto (cerca de R$ 0,60).

Estacionamento especial para patinetes

Mas a falta de uma legislação específica provoca alguns abusos, como as patinetes abandonadas ou a circulação em alta velocidade nas calçadas, colocando em risco a segurança dos pedestres e dos pilotos. No ano passado, a prefeitura de Paris chegou a ameaçar os usuários com a criação de uma multa para quem se aventurasse com as patinetes nas calçadas.

A prefeita, Anne Hidalgo, também escreveu para o primeiro-ministro dizendo que há uma urgência em se implementar uma jurisprudência para enquadrar o uso desse equipamento.  

Além disso, Paris também está se organizando para criar estacionamentos específicos para as patinetes. O objetivo é evitar que os equipamentos não sejam mais abandonados nas calçadas.

Defesa do clima une ambientalistas, estudantes e coletes amarelos em manifestações em Paris

Uber, patinetes e bicicletas de aluguel saem ganhando com greve de transportes públicos em Paris

Campanha contra violência doméstica alcança forte impacto nas vítimas

Crédito imobiliário muito barato causa explosão no preço dos imóveis na França

Um ano após lei contra assédio de rua, França registra apenas 700 queixas

Amazon aumenta taxas de fornecedores para escapar de impostos na França

França ameaça tirar habilitação de motorista que dirigir falando no celular

Secador de cabelo de ouro e jantares de rei: ministro francês nega abusos e permanece no cargo

Hipódromo cria novas atrações e conquista público diversificado em Paris

Festa da Música mostra a grande diversidade de músicos profissionais e amadores franceses

Empresas francesas têm comprado silêncio de mulheres que denunciam casos de assédio

Festival de Cannes questiona limites da arte com filme que beira pornografia

Macron e Zuckerberg afinam projeto de regulamentação das redes sociais