rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Moda Paris Alta-Costura

Publicado em • Modificado em

Estilista português Felipe Oliveira Baptista assume a direção artística da Kenzo

media
Felipe Oliveira Baptista dirigiu o estilo da Lacoste durante oito anos e ajudou a dobrar o faturamento da marca BERTRAND GUAY / AFP

O estilista Felipe Oliveira Baptista foi nomeado nesta segunda-feira (1°) diretor artístico da marca francesa Kenzo. O português substitui os americanos Carol Lim e Humberto Leon, que deixaram a grife no dia 23 de junho.


Baptista já é conhecido do público francês. Além de sua própria marca, ele dirigiu o estilo da Lacoste durante oito anos. Mas ao assinar com a Kenzo, ele integra a máquina de guerra do grupo LVMH, líder mundial do luxo e grupo proprietário da grife, assim como Dior, Louis Vuitton ou Givenchy.

Nascido nos Açores, o estilista estudou na Kingston University e, como boa parte dos designers de sua geração, passou por várias grifes antes de criar sua própria empresa. Sua carreira teve escalas na Max Mara, Cerruti, ou ainda Christophe Lemaire. Ele fundou sua marca em 2003, mesmo ano em que levou um dos prêmios do Festival de Hyères, um dos principais concursos de talentos da França.

“Estamos muito contentes em acolher Felipe Oliveira Baptista. Sua visão criativa moderna e inovadora e seu estilo artístico completo vão permitir à maison continuar desenvolvendo seu potencial, respeitando seu patrimônio único”, declarou Sylvie Colin, presidente da marca criada nos anos 1970 pelo estilista japonês Kenzo Takada.

“Kenzo é a liberdade contagiante e o movimento”, declarou Baptista, elogiando a “elegância, o frescor do senso de humor e a impertinência” do fundador da marca. Takada marcou a moda com um estilo colorido, inspiração étnica e muitas flores.

Nova fase para a Kenzo

Apesar da visibilidade que ganhou sob o comando de Carol Lim e Humberto Leon, que rejuvenesceram a marca, Kenzo não faz parte dos nomes mais rentáveis do grupo LVMH, com vendas estimadas em menos de € 500 milhões por ano. Ao contratar Baptista, espera-se que o estilista repita seu feito na Lacoste, quando dobrou o faturamento da marca, passando de € 1 bilhão para € 2 bilhões sob sua batuta.

O português também tornou a Lacoste mais internacional, principalmente após levar a grife, conhecida por seu patrimônio no mundo do tênis, para desfilar em Nova York.

Pontapé inicial da alta-costura

O anúncio da contratação de Baptista é feito em plena temporada de desfiles da alta-costura outono-inverno 2019-20, que começaram no domingo (30). A maratona teve início com a estreia da maison italiana AELIS. Mas a semana também será marcada pela entrada da marca americana RR331 no calendário.

Todos também esperam para ver o primeiro desfile da Chanel assinado por Virginie Viard, que substitui Karl Lagerfeld após a morte do estilista alemão em fevereiro. Ex-braço-direito do kaiser, ela apresentou em maio uma coleção croisière, mas essa será sua primeira vez sozinha à frente de um desfile na alta-costura, a prova de fogo em matéria de moda.

Voir cette publication sur Instagram

BREAKING GOOD 💥

Une publication partagée par felipeoliveirabaptista (@felipeoliveirabaptista) le