rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
A Semana na Imprensa
rss itunes

Equipamento "revolucionário" de radioterapia entusiasma oncologistas franceses

Por Adriana Moysés

Um novo equipamento de radioterapia utilizado no tratamento contra o câncer, o MRIdian, fabricado pela empresa americana ViewRay, está sendo considerado uma "inovação maior" por especialistas na França. Por enquanto, só existem dez unidades do aparelho em uso no mundo, três delas no território francês. Mas os resultados alcançados em 60 pacientes tratados no Instituto Paoli-Calmettes, em Marselha (sul), desde o mês de fevereiro, são considerados excepcionais pela comunidade científica francesa.

Uma reportagem da revista semanal do jornal Aujourd'hui en France revela os benefícios da máquina de última geração. O MRIdian permite combater com eficácia lesões no abdome, causadas por tumores no fígado, pâncreas e esôfago, muito delicadas por estarem próximas de órgãos hipersensíveis e sujeitas aos movimentos da respiração.

A oncologista Magali Rouffiac, do Hospital Georges François Leclerc, em Dijon (centro-leste), recebeu o aparelho em julho e já nota melhoras no combate de metástases nas glândulas suprarrenais e num paciente com câncer de próstata localizado. Uma das inovações do equipamento é que ele associa a ressonância magnética ao acelerador linear de raios X, proporcionando uma melhor definição dos tecidos sadios e do tumor. Assim, fica mais fácil identificar as células cancerígenas que devem ser destruídas.

Segundo a médica francesa, a imagem por ressonância permite controlar a posição do tumor durante toda a sessão de radioterapia. Ela também oferece ao radiologista a vantagem de suspender imediatamente a radiação caso haja uma mudança de posição do tumor pelo movimento de órgãos vizinhos. Graças a esta precisão, é possível reduzir de dois a três milímetros as margens de segurança habituais, o que permite aumentar as doses de radiação, ao mesmo tempo em que se reduz os efeitos colaterais da radioterapia. O MRIdian também é capaz de recalcular rapidamente o plano de tratamento a cada nova sessão, adaptando-se às modificações de tamanho e de localização das células cancerígenas.

Os especialistas franceses esclarecem que o equipamento americano não é indicado para o tratamento de todos os tipos de tumor maligno. É o caso de pacientes com múltiplas lesões difusas. A máquina revolucionária tem outro limite: ela consegue tratar apenas dez a 15 pacientes por dia, contra 30 a 50 pessoas para um aparelho clássico de radioterapia.

Além de Marselha e Dijon, o Instituto do Câncer de Montpellier (sul) começará a usar o MRIdian em seus pacientes em setembro. Ele custa a bagatela de € 8,2 milhões de euros, mas promete prolongar a vida de muitos doentes.

TV e rádio públicas francesas ampliam tempo de programação para meio ambiente

Amazônia: especialistas franceses debatem princípios de justiça climática

Bilionário legendário de Wall Street investe toda a sua fortuna em tecnologias limpas

Bióloga brasileira denuncia tensões ideológicas na universidade após eleição de Trump

Ambição expansionista da China passa pela conquista dos portos mundiais, diz revista Le Point

Morte de Marielle continua pairando na vida política do Brasil, diz revista francesa

Ortopedista russo faz algumas crianças com paralisia cerebral recuperar movimentos na Espanha

Manifesto de 50 médicos, magistrados e políticos pede legalização da maconha na França

Ao atacar universidade, Bolsonaro visa uma juventude que lhe é hostil, diz Safatle

Técnica da seleção francesa de futebol visa troféu e não dá bola para sexismo

A alguns dias das eleições europeias, imprensa francesa analisa "epidemia populista" no Velho Continente

O ministério da "incultura" do Brasil deve alimentar debates no Festival de Cannes

Evangélicos concorrem com muçulmanos em busca de novos fiéis nas periferias francesas