rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Brasil Emmanuel Macron Jair Bolsonaro

Publicado em • Modificado em

Ex-segurança de Macron se irrita com insultos de Renzo Gracie e chama lutador para briga

media
Alexandre Benalla, que atuou como segurança de Macron durante campanha eleitoral e nos primeiros meses de mandato, antes de ser afastado, decidiu tomar as dores do chefe de Estado. Reuters

Alexandre Benalla, ex-agente de segurança de Emmanuel Macron, se irritou com as declarações de Renzo Gracie, “embaixador do turismo brasileiro”, que ameaçou o presidente francês. O ex-membro da equipe do chefe de Estado chamou o mestre de jiu-jitsu para um combate.


“Renzo Gracie parece ter uma boca muito grande. Se você quiser, eu proponho um (combate) octógno. Seu discurso não é digno de um grande esportista”, publicou Benalla nas redes sociais nesta quarta-feira (4). “Você não é um imbecil! O seu cérebro está parecendo o de uma galinha (...) Em vez de dizer besteiras, responda o meu convite. Você está pronto para um octógono em Paris ?”, continuou o ex-agente de segurança em outro post.

Benalla marcou suas mensagens com o hastags como #MMA e #UFC, modalidades de lutas popularizadas pela família Gracie, mas também #OctogoneSansRègles. A menção faz alusão às disputas entre os rappers Booba e Kaaris, dois rivais da música francesa que chegaram a brigar dentro do aeroporto de Orly.

Alexandre Benalla ficou conhecido do grande público no ano passado. Acusado de abuso de poder e uso excessivo de violência durante protestos em Paris, as imagens de suas atuações truculentas sacudiram o governo francês e chegaram a afetar a popularidade de Emmanuel Macron.

I’m sorry, Micron

A recente provocação de Benalla é uma resposta às declarações de Renzo Gracie, que no fim de semana decidiu tomar as dores de Jair Bolsonaro após as críticas feitas por Macron ao líder brasileiro. O ex-lutador de 52 anos não gostou dos comentários do presidente francês sobre a gestão dos incêndios na Amazônia.

“Macron… I’m sorry, Micron, Micron. ​Tá falando mal do meu país… O único fogo que tem é no coração dos brasileiros e do nosso presidente, seu palhaço. Vem aqui que tu vai tomar um gogó nesse pescoço, nesse pescoço de franga. Não me engana não, porra. Aqui o mertiolate tá ardendo”, disse o ex-lutador, nomeado por Bolsonaro embaixador do “turismo internacional”.

Do lado francês, o cônsul da França em São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul, o Brieuc Pont, reagiu aos comentários de Gracie já na segunda-feira (2). O representante de Paris disse que “cachaça deve ser consumida com moderação, e nó de gravata ajustado”, insinuando que o ex-lutador poderia estar embriagado, além de notar, com humor, o detalhe fashion do brasileiro. “Sem falar dos modos na mesa”, concluiu o diplomata francês.