rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Imprensa Jacques Chirac Morte

Publicado em • Modificado em

"Nós amamos você": imprensa francesa homenageia e se despede de Jacques Chirac

media
Capa do jornal Libération desta sexta-feira (27). Reprodução/Libération

A imprensa francesa desta sexta-feira (27) presta homenagem em peso ao ex-presidente francês Jacques Chirac, falecido ontem, aos 86 anos. Os principais jornais trazem edições especiais, onde relembram em várias páginas a vida e a trajetória política deste que foi um dos chefes de Estado mais populares da França.


Nas capas dos principais jornais franceses, a foto de um homem que marcou a História do país com 40 anos de carreira política. Chirac foi presidente durante dois mandatos, de 1995 a 2007, foi duas vezes primeiro-ministro e três vezes prefeito de Paris.

"Adeus" é a manchete do jornal Le Figaro, que estampa um retrato de Chirac em página inteira. Em editorial, o jornal destaca que, quando Chirac se despediu da presidência, em 2007, sua última mensagem aos franceses foi: "eu amo vocês".

Agora, diz o diário, os franceses entristecidos respondem ao ex-chefe de Estado: "nós amamos você", independente de seus posicionamentos políticos. "Se Jacques Chirac é hoje motivo de tanta afetividade é porque ele, instintivamente, encarou as constâncias e as contradições de um país que ele soube encarnar, como homem de Estado, com distinção e humanidade", reitera.

"Sem Chichi" é a manchete de capa do jornal Libération, que lembra o apelido do ex-presidente. Afinal, além de um homem político classificado pelo diário como uma "fera do poder", o ex-presidente ficará na memória dos franceses como "um tipo simpático", comilão, apaixonado pelo povo, que gostava da proximidade com os franceses e escutar suas reclamações, tratando-os de igual para igual, afirma o editorial do diário.

"Tão francês" é a manchete de capa do jornal Le Parisien, que estampa Jacques Chirac sorridente, em página inteira, destacando o ano de seu nascimento, 1932 e de seu falecimento. "Muito enfraquecido depois de anos doente, ele estava fora do cenário político, mas continuava sendo extremamente popular", destaca o diário.

Contradições e defeitos

Em editorial, Le Parisien publica que, com a morte do ex-presidente, o sentimento coletivo dos franceses é de "vazio". O jornal também destaca as contradições e defeitos que Chirac não escondia publicamente, bem como seu caráter sedutor.

"Campeão da má-fé, da inconstância de ideias, sempre pronto a dar um jeitinho nas leis para alcançar seus objetivos, ele também foi um homem de uma classe inacreditável, profundamente humano, capaz, com um olhar e um aperto de mão, de compreender as expectativas de uma pessoa ou de um povo", afirma.

A manchete escolhida pelo jornal La Croix é "Uma História Francesa". Para o diário, Chirac "encarnava o melhor e pior do temperamento nacional". "Ele nos deixa com a imagem de o pai de uma nação", resume o editorial do La Croix.