rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

França Condenação Animais Marselha Proteção

Publicado em • Modificado em

Homem que manteve filhote de leoa na garagem é condenado na França

media
A leoa Cersei em 2018, quando foi resgatada pelos policiais da polícia aduaneira francesa (Foto: HO/Douanes Françaises)

O homem que mantinha um filhote de leão no escritório de uma garagem em Marselha, no sul da França, foi condenado nesta segunda-feira (4) a um ano de prisão, com suspensão condicional da pena. Ele também terá que pagar uma multa de € 7.000.


O felino foi descoberto em outubro de 2018 pela polícia aduaneira em péssimo estado de saúde, dentro de uma caixa. O filhote, de apenas três semanas, estava praticamente sem pelos e com o abdômen inchado, provavelmente por conta de uma alimentação inadequada. A informação foi divulgada pela rádio francesa France Info.

O homem que mantinha o animal não tinha nenhuma autorização para mantê-lo em cativeiro e tem antecedentes criminais de roubo e violência. Em seu depoimento, ele contou que achou o animal no porão de um prédio de um bairro pobre da cidade e o recolheu. O objetivo, garante, era entregá-lo a um profissional. “Ele queria salvá-lo e está arrependido”, disse seu advogado, Frédéric Coffano, à rádio francesa.

A leoa foi batizada de Cersei, em homenagem ao personagem da série “Guerra dos Tronos”, a rainha Cersei Lannister, cujo brasão da família trazia o desenho de um leão. Ao ser encontrado ele teve que ser anestesiado pelos veterinários. Ele foi entregue à SPA (Sociedade Protetora dos Animais) e em seguida a uma associação especializada em animais selvagens. Tratado, o filhote foi entregue para um santuário de conservação dos leões na África do Sul.

Moda perigosa

A advogada da associação de proteção dos animais One Voice, Arielle Moreau, lembrou que a detenção ilícita de animais selvagens alimenta o tráfico e está na origem de muitos casos de maus-tratos. Ela denuncia uma “moda” alimentada por jogadores de futebol, que tiram fotos ao lado de jovens felinos.

Os animais, lembra, muitas vezes, são “alugados” para selfies e outras imagens que serão publicadas nas redes sociais. A associação pretende entrar com um recurso na Justiça, que absolveu o homem do delito de maus-tratos. O caso é raro na França, mas não é único. Em janeiro de 2007, dois filhotes de leão foram encontrados pela polícia aduaneira e entregues ao zoológico de Marselha.