rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Déficit Dívida Estados Unidos EUA Negociação Negociações

Publicado em • Modificado em

Senado dos EUA rejeita proposta para elevar teto da dívida

media
Harry Reid (C), em uma coletiva ao lado dos senador Charles Schumer (E) e Dick Durbin (D) em Washington, 29 de julho de 2011. REUTERS / Yuri Gripas

O senado americano rejeitou a proposta democrata para aumentar o teto da dívida dos Estados Unidos. O plano do líder da maioria democrata, Harry Reid, teve 50 votos contra 49, quando precisava de pelo menos 60 votos dos 100 senadores para avançar. Mas líderes dos dois partidos continuam trabalhando pelo acordo.


O diretor de comunicação da Casa Branca, Dan Pfeiffer, anunciou na tarde desse domingo, no Twitter, que importantes dificuldades ainda devem ser resolvidas para conseguir um acordo sobre um aumento do teto da dívida americana.

No sábado, a Câmara de Representantes, dominada pelos Republicanos, também havia recusado a proposta do partido do presidente Barack Obama. Reid, então, propôs adiar a votação em 12 horas para dar mais tempo para que democratas e republicanos tentassem um acordo.

Para tentar conseguir votos da oposição, Reid comunicou na sexta-feira a noite uma nova versão de seu plano com medidas sugeridas pelos Republicanos. O novo plano autorizava um aumento do teto da dívida de dois bilhões e quatrocentos milhões de dólares, acompanhado de uma redução orçamentária de mesmo valor sobre dez anos.

Os dois lados fizeram concessões durante as negociações, mas suas posições continuam opostas. De um lado, os republicanos pedem a baixa dos impostos e reduções orçamentárias drásticas. Do outro, os democratas querem acompanhar o rigor orçamentário de esforços fiscais dos ricos. A data final para o acordo é o dia 2 de agosto.