rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Crise financeira Economia Eleição presidencial França Governo Imigração Imprensa

Publicado em • Modificado em

Jornal aponta contradição no discurso do governo francês sobre imigração

media
O ministro do Interior da França, Claude Guéant. REUTERS/Charles Platiau

A nova polêmica sobre a imigração provocada pelas declarações do ministro do Interior francês sobre o voto dos residentes estrangeiros ganhou destaque, nesta terça-feira, na capa do jornal progressista Libération. As negociações entre candidatos às eleições presidenciais de 2012, a recessão na zona do euro e a alta do desemprego na França também ocupam as primeiras páginas dos diários franceses.


"Guéant: A voz de Le Pen", diz a manchete de Libération. O jornal afirma que, ao atacar os estrangeiros em situação regular, o ministro do Interior da França, Claude Guéant, reivindica abertamente as teses da Frente Nacional, o partido de extrema-direita liderado por Marine Le Pen. As declarações de Guéant no último domingo contra o direito de voto dos residentes estrangeiros nas eleições locais francesas reacenderam a polêmica sobre a imigração, que deve ser um dos temas centrais da campanha eleitoral de 2012.

O ministro também disse que pretende diminuir em 10% a imigração legal. Libération aponta que essas declarações contradizem políticas adotadas pelo presidente Nicolas Sarkozy desde o início do seu mandato em relação aos estudantes estrangeiros e à imigração econômica.

Le Figaro dedica sua manchete principal à afirmação do candidato do Partido Socialista à presidência, François Hollande, de que está aberto a uma aliança com os centristas, liderados por François Bayrou. Segundo o jornal conservador, a estratégia pode se revelar arriscada pois a ala mais radical do Partido Socialista é contrária a uma aproximação com o centro e o próprio François Bayrou tem mais afinidades com a direita e hesita em abandonar seu sonho de conquistar um lugar no segundo turno das eleições.

Crise econômica

Les Echos afirma em sua manchete que os mercados apostam em uma saída para a crise na zona do euro. Nesta segunda-feira, a OCDE anunciou uma revisão para baixo das suas previsões de crescimento para 2012 e a agência de notação Moody's alertou que a intensificação da crise ameaça as boas notas de todos os países que possuem um triplo A. Apesar disso, as bolsas tiveram um dia de euforia nesta segunda-feira, chegando a um alta de 5,46% em Paris. Segundo o diário econômico, essa reação mostra a esperança de que os líderes europeus finalmente encontrarão medidas eficazes contra a crise das dívidas públicas na cúpula prevista para o dia 9 de dezembro.

"O emprego massacrado", diz a manchete de L'Humanité, que dá destaque aos dados oficiais sobre o desemprego na França anunciados na segunda-feira. Em um ano, o número de desempregados aumentou 5,2% e chegou a um total de 4,5 milhões. Para o jornal comunista, esse é o resultado "de uma política de rigor que sufoca o crescimento".

O diário católico La Croix destaca em sua primeira página a ameaça da recessão que pesa sobre a zona do euro, segundo as previsões da OCDE, e analisa a ascensão ao poder de partidos islâmicos moderados no norte da África.