rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Síria Conselho Nacional Sírio Bashar al-Assad

Publicado em • Modificado em

Mais dois atentados matam pelo menos 27 pessoas em Damasco

media
Um prédio atingido por um carro-bomba neste sábado, em Damasco. REUTERS//SANA/Handout

Dois atentados contra prédios dos serviços de segurança neste sábado mataram pelo menos 27 pessoas, em sua maioria civis, em Damasco. Quase cem ficaram feridas. O anúncio foi feito pelo ministro da Saúde da Síria, Wael al-Halaqi. De acordo com a imprensa oficial, carros-bomba foram usados nos ataques.


Segundo a televisão estatal síria, os ataques tiveram como alvos a sede da polícia criminal e um centro de informação da Força Aérea. Um militante do comitê de coordenação da revolução de Damasco, Abu Muhanad al Mazzi, declarou à agência France Presse que a primeira explosão aconteceu às 7h30 (2h30 de Brasília). A segunda, mais forte, aconteceu poucos minutos depois.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH) informou em um comunicado que vários membros das forças de segurança morreram e outros ficaram feridos nas explosões. A oposição acusa o governo de Bashar al-Assad de estar por trás de vários atentados que acontecem no país desde o início das revoltas populares, há um ano. A violência já provocou a morte de mais de nove mil pessoas.

Nova coalizão

Cinco grupos de oposição anunciaram neste sábado a formação de uma nova coalizão, independente do Conselho Nacional Sírio (CNS), que reuniria todas as tendências. O anúncio confirma as dificuldades dos opositores de al-Assad em formar uma frente única.

Ainda sem nome e com objetivos ainda não definidos, o novo grupo reúne o liberal Movimento Nacional pela Mudança, o islâmico Movimento pela Pátria, o Bloco pela Liberação e pelo Desenvolvimento (sob comando de uma poderosa tribo), o Bloco Nacional Turcomeno e o curdo Movimento por uma Nova Vida.