rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Argélia França Investigação Mohamed Merah Polícia Terrorismo Terrorista Toulouse

Publicado em • Modificado em

Corpo de atirador de Toulouse será sepultado na França

media
Reprodução de vídeo com a imagem do atirador de Toulouse Mohamed Merah. © France 2

O funeral de Mohamed Merah, assassino confesso de três militares, de um professor e três alunos de uma escola judaica, será realizado nos arredores de Toulouse às 17 horas (meio-dia em Brasília), diz um representante da Grande Mesquita de Toulose. O pai de Merah havia solicitado que o corpo do filho fosse sepultado na Argélia, onde ele vive, mas o governo argelino recusou alegando "preocupações com a segurança".


A sepultura de Mohamed Merah não deverá ser identificada para evitar atos de vandalismo ou aglomeração de radicais islâmicos admiradores do assassino. O cemitério de Cornebarrieu é o maior de Toulouse e é administrado pela Prefeitura.

Em uma entrevista à rádio France Inter, o premiê francês, François Fillon, declarou que Merah estava sendo vigiado há vários meses por serviços de inteligência que haviam, inclusive, grampeado seus telefone. As escutas telefônicas foram interrompidas no final de 2011 por falta de evidências de atividades terroristas.

Agora as autoridades policiais investigam o círculo de amizades de Mohamed Merah em busca de um possível cúmplice dos crimes. Preso desde domingo por suposta participaçao no caso, Abdelkader Merah declarou durante os interrogatórios policiais que, no dia em que roubou com seu irmão a moto utilizada nos assassinatos, havia um terceiro homem. Ele não revelou a identidade dessa pessoa, mas as investigações já trazem algumas pistas novas.

A polícia encontrou ontem na localidade de Saint-Papoul, a 60 quilômetros de Toulouse, um veículo abandonado. No interior do carro, havia um capacete e partes de carroceria de uma moto Yamaha TMAX, modelo semelhante ao utilizado por Merah nos assassinatos dos três militares, do professor e três alunos de uma escola judaica. Esse carro pertenceria a uma pessoa que morava no mesmo edifício que Mohamed Merah.

A polícia também revelou ontem que encontrou um pen-drive no bolso da calça de Mohamed Merah contendo imagens dos assassinatos filmados por ele. Um outro pen-drive havia sido enviado para a rede de televisão Al-Jazeera na semana passada, mas a tevê preferiu não divulgar o vídeo.

Para os investigadores, Mohamed Merah não fazia parte de uma rede organizada de terrorismo, mas pode ter contado com a ajuda de um amigo ou conhecido nos massacres de Toulouse e de Montauban além do seu irmão Abdelkader.