rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Blog Blogueiros Paquistão

Publicado em • Modificado em

Blogueira baleada por talibãs no Paquistão vai ser tratada na Inglaterra

media
Crianças em Karachi, Paquistão, fazem demonstração de apoio à jovem baleada por talibãs. REUTERS/Naseer Ahmed

A jovem blogueira Malala Yousoufzai, 14 anos, gravemente ferida por talibãs por ter defendido o direito à educação para meninas, foi transferida na manhã desta terça feira para a Inglaterra, a fim de receber tratamento intensivo de longa duração.


Um comunicado do exército paquistanês informou sobre a remoção da jovem, mantido em segredo até a decolagem do avião, por motivos de segurança. Malala vai ser tratada no hospital Rainha Elizabeth, em Birmingham, um centro de saúde especializado que acolhe soldados britânicos gravemente feridos no Afeganistão.

Malala foi baleada há uma semana no ombro e na cabeça por extremistas muçulmanos dentro de um ônibus escolar, em Mingora, principal cidade do vale de Swat, no noroeste do Paquistão. O ataque foi reivindicado por um grupo ligado à rede al-Qaida. Segundo um comunicado, Malala foi escolhida como alvo por seu “papel de pioneira” na defesa da educação para meninas.

No domingo, os médicos da jovem informaram que Malala vinha apresentado “progressos regulares e satisfatórios”. Mas ainda não se sabe se ela terá sequelas físicas. Os especialistas paquistaneses e estrangeiros estimam que ela terá necessidade de “cuidados intensivos a fim de se recuperar física e psicologicamente”, informou o exército.

Malala Yousufzai ficou conhecida no mundo inteiro em 2009, aos 11 anos, ao denunciar em um blog em urdu (língua oficial do Paquistão) da BBC as violências cometidas pelos talibãs, que incendiavam as escolas para meninas e assassinavam seus opositores no vale de Swat e nas regiões vizinhas desde 2007.

No ano passado ela recebeu o primeiro prêmio nacional para a paz criado pelo governo paquistanês e foi uma das finalistas do prêmio internacional das crianças para a paz da fundação holandesa Kids Rights.