rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Acidente Alpes Cérebro Fórmula 1 Grenoble hematoma Michael Schumacher Operação

Publicado em • Modificado em

Schumacher passa por nova cirurgia e apresenta leves melhoras

media
Captura vídeo da coletiva de imprensa desta manhã, dia 31 de dezembro, sobre o estado de saúde de Schumacher.

A equipe médica do Centro Hospitatal Universitário (CHU) de Grenoble, responsável pelo tratamento do ex-piloto de Fórmula 1 Michael Schumacher, concedeu uma segunda coletiva de imprensa na manhã desta terça-feira, dia 31 de dezembro. Eles informaram que o atleta segue em coma induzido, após uma nova intervenção cirúrgica realizada ontem à noite, e que “pequenos sinais de melhora” no estado de saúde do atleta foram detectados. Os especialistas, no entanto, ressaltam que ainda é cedo para fazer previsões sobre as conseqüências do grave traumatismo craniano sofrido ou possíveis seqüelas no cérebro do alemão.  


A diretora do hospital, Jacqueline Hubert, explicou, na abertura da coletiva de imprensa, que uma tomografia do crânio de Schumacher foi feita ontem à noite, quando novos hematomas, no lado esquerdo de seu cérebro, foram detectados. Diante da degradação do quadro do ex-piloto, os médicos decidiram pela realização de uma nova intervenção cirúrgica, que durou 2 horas, e que trouxe resultados "satisfatórios" na recuperação do ex-piloto.

A intervenção, que aconteceu por volta das 22h desta segunda-feira e serviu para retirar um hematoma que havia se formado no lado esquerdo do cérebro de Schumacher, lado oposto ao do choque inicial, em uma região que controla as funções da linguagem. Os hematomas que tinham sido retirados na primeira operação, no domingo, estavam fora do cérebro, na caixa craniana.

Nesta manhã, após uma nova tomografia, o sucesso da cirurgia pôde ser confirmado, especialmente para a pressão intracraniana – um aspecto fundamental para a recuperação do estado de saúde do alemão. A equipe média salientou, entretanto, que Schumacher ainda sofre de várias hemorragias no cérebro, que seguem em monitoramento.

Segundo o neurocirurgião Jean-François Payen, a cirurgia não estava inicialmente prevista e foi feita com o acordo da família de Schumacher. Para ele, a eliminação dos hematomas detectados ontem à noite foi feita de maneira “correta e satisfatória”, o que resultou em um melhor controle do estado de saúde do ex-piloto.

O neurocirurgião também sublinhou que o procedimento é tradicional, “nada excepcional ou diferente do tipo de tratamento que recebem os pacientes que sofrem esta espécie de lesão”. Ele diz que os médicos agem com muita prudência e tentam evitar qualquer tratamento mais arriscado.

Os especialistas ressaltaram, no entanto, que ainda é cedo para se fazer previsões sobre o risco de morte, especialmente porque ainda há lesões no cérebro do atleta. Para Payen, “as próximas horas são fundamentais na recuperação de Schumacher”.

A mulher, os filhos, o irmão e o médico alemão de Schumacher estão no hospital ao lado do atleta. Por meio de nota, eles agradeceram a equipe médica do hospital de Grenoble “que faz todo o possível para ajudar Michael”, declarou a assessora de imprensa dos Schumacher, Sabine Kehm. Ela também fez um apelo para que a imprensa respeite a intimidade dos familiares.

O médico Gerard Saillant, o mesmo que operou Ronaldo e é amigo da família, disse na coletiva que o combate não está ganho, mas todos estão "um pouco mais otimistas".

Grave acidente nos Alpes

No último domingo, o ex-piloto esquiava na estação de Méribel, nos Alpes franceses, quando sofreu uma queda e bateu com o lado direito da cabeça em uma pedra. A batida foi tão forte que o capacete que Schumacher utilizava se partiu em pedaços e ele sofreu um grave traumatismo craniano.