rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês

Espanha Juan Carlos Monarquia Príncipe Felipe Protestos Rei da Espanha

Publicado em • Modificado em

Juan Carlos preside última cerimônia militar como rei espanhol

media
O rei da Espanha, Juan Carlos, preside sua última cerimônia oficial antes de deixar o trono. REUTERS/Susana Vera

A alguns dias de passar oficialmente o trono para seu filho Felipe, o rei Juan Carlos presidiu neste domingo (8) sua última cerimônia militar oficial. Ao longo da semana, o monarca se despede da agenda de compromissos reais e mantém o encontro com o presidente do México, Enrique Peña Nieto, que visita a Espanha a partir desta segunda-feira (9).


Com um semblante sereno e trajando um uniforme, o rei Juan Carlos presidiu as cerimônias do Dia das Forças Armadas. A data lembra os militares que morreram a serviço do país. Na tribuna de honra, o futuro rei da Espanha, o príncipe Felipe, e sua esposa, a princesa Letizia, também acompanharam o evento.

A comemoração solene acontece, porém, após um dia de manifestações na Espanha. Ontem milhares de pessoas protestaram em Madri por um referendo sobre o futuro da monarquia. Desde a abdicação do rei Juan Carlos, na semana passada, tem crescido um movimento republicano no país.

Segundo pesquisa divulgada hoje pelo jornal El Pais, 62% dos entrevistados afirmam que “em algum momento” a Espanha deveria organizar um referendo para decidir se a monarquia deveria continuar no país. Mas a mesma pesquisa revela que 49% dos espanhóis apóiam Felipe como monarca. 36% gostariam do retorno do regime republicano.

A defesa da República é mais forte, sobretudo, entre os mais jovens. Os analistas revelam que essa nova geração, afetada pela alta do desemprego, não conhece o papel importante do rei na transição democrática na Espanha.

Prestígio do novo rei

A família real espanhola tem sido envolvida em uma série de escândalos nos últimos anos. No auge da crise espanhola, Juan Carlos foi flagrado em um safári na África. A suspeita de que seu genro, Iñaki Urdangarin, casado com a infanta Cristina, teria desviado dinheiro público e feito tráfico de influência também manchou a imagem da monarquia espanhola.

As confusões familiares não afetaram o príncipe Felipe. A pesquisa do jornal El Pais revela que o futuro rei é mais popular que o seu pai, Juan Carlos. No próximo dia 19 de junho, Felipe VI assumirá o trono. A cerimônia será laica e não terá pompa. Segundo o protocolo real, não haverá convidados estrangeiros. Antes disso, nesta quarta-feira (11) a Câmara dos Deputados e o Senado terão que aprovar a abdicação do rei Juan Carlos.