rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

Manassés de Sousa, músico: "Minha relação com a França é muito forte"

Por Leticia Constant

Do Ceará para o mundo. Assim pode-se definir o percurso de um dos maiores violonistas brasileiros, Manassés de Souza, que está atualmente em Paris para uma série de shows. Ele se apresenta nesta quarta-feira (29) na Livraria Les Nouveautés e no Bar Planète Mars, musicando duas leituras de textos de Socorro Accioli; na sexta-feira (31), ele mostra suas composições em um concerto no Espaço Krajcberg.

 

O amor de Manassés de Souza pela música começou aos 4 anos em Maranguape, no interior do Ceará, onde passou a infância. Ao invés de jogar bola, ele preferia tentar tocar escondido o violão do irmão mais velho, que tinha muito ciúme do instrumento. "Até que um dia ele chegou em casa mais cedo e me pegou com o violão. Ficou furioso, me deu uns tapas, chamou meu pai, que também ficou bravo, então, eu disse que já estava tocando. Eu tinha só quatro anos, e meu pai respondeu "Então toca!", lembra Manassés, contando que interpretou a música de roda "Teresinha de Jesus". A partir daquele dia, seu pai o autorizou a tocar o violão do irmão e ele continuou os estudos.

Sua primeira apresentação pública não demorou. O pai o levou a uma praça em Fortaleza e pediu para ele tocar; as pessoas se amontoaram para ver o menininho talentoso e o pai passou o chapéu, conseguindo bastante dinheiro. No mesmo dia, ele levou Manassés a uma loja de instrumentos e comprou para ele o seu primeiro violão.

Ponte entre Brasil e França

Manassés de Sousa foi para São Paulo em 1975, onde vivia em condições modestas com o cantor Belchior, seu amigo. Um dia, um brasileiro que morava na França apareceu na casa em busca de músicos para levar para Paris. Esta foi a oportunidade para o cearense atravessar o Atlântico e viver sua primeira aventura internacional.

Na capital francesa, ele tocou com nomes conhecidos na época como a dupla de travestis brasileiros Les Étoiles e a cantora Nazaré Pereira. Logo seu talento o levou a acompanhar artistas franceses populares como Georges Moustaki, Claude Nougaro e Bernard Lavilliers, com quem compôs várias músicas. Outros nomes vieram se somar ao seu leque de colaborações, entre eles, Naná Vasconcelos, Luiz Gonzaga, Chico Buarque, Elba Ramalho e até o consagrado violonista espanhol Paco de Lucia, um dos reis do flamengo.

Na vida pessoal, Manassés se casou com uma francesa e teve um filho, que toca flauta e mora em Paris. "Minha relação com a França é uma coisa muito forte. Além da ligação familiar, tenho uma ligação com a própria cultura francesa, que gosto muito, e agora tenho netos, então, a tendência é isso ficar mais forte e eu vir mais para mostrar a minha música, o que é muito importante também", ele diz.

Hoje,o artista vive entre Brasília e Ceará e espera vir à França com mais frequência "para ver os netinhos crescerem".

Mana Mano, o primeiro disco solo e "brilhante"

Manassés veio mostrar em Paris seu último álbum, "Mana Mano", em que prima o violão de 12 cordas: "Posso dizer que este é um dos trabalhos que fiquei mais feliz de ter feito porque fiz sozinho, gravei todos os violões. Fiz esse disco com muita consciência e muita tranquilidade, e gravei em Brasília em um dos melhores estúdios do Brasil. A sonoridade do meu instrumento realmente 'chegou' nesse disco, fiquei muito satisfeito, a sonoridade parece realmente brilhante", ressalta o músico.

Livro conta como Lisboa se tornou o “centro do mundo” na Segunda Guerra

Psicóloga brasileira publica na França livro sobre terapia sistêmica individual

“Desigualdade não diminuiu tanto assim nos anos 2000”, diz pesquisador do IPEA

“Maio de 68 foi uma explosão de criatividade, às vezes caótica”, diz Frédéric Pagès

“É um momento de celebração de mulheres em Cannes”, diz a atriz Mariana Ximenes

"Compromisso de ONG Líderes para a Paz é promover soluções pacíficas para conflitos", diz Antonio Patriota

“O Cinema Novo praticamente nasceu em Cannes, em 1964”, conta Cacá Diegues

Psicóloga lança em Paris livro sobre práticas medicinais e cultura de etnia da Amazônia

Regulamentação europeia para proteção de dados pessoais pode ter impacto no Brasil

“De 8.500 brasileiros adotados por franceses, metade pode ter sido de maneira ilegal”, estima especialista

Oxfam: aumento da desigualdade leva à instabilidade política e econômica no Brasil

Em turnê europeia, São Paulo Cia de Dança traz leitura do mundo em seus passos

Brasileira conta invasões à Sorbonne e à Casa do Brasil em Maio de 68

Voos diretos da Air France/KLM vão transformar Fortaleza em hub de conexões, diz governador

Federação sindical mundial lança site para valorizar trabalhadores dos serviços públicos

“Sistemas político e econômico do Brasil não se modernizaram como o judiciário”, diz economista francês