rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

"Cannes é o festival mais importante do mundo": Kleber Mendonça Filho, diretor

Por Silvano Mendes

Um ano depois de brilhar no Festival de Cannes com seu longa "Aquarius", o cineasta pernambucano Kleber Mendonça Filho volta à Riviera francesa, desta vez como presidente do júri da Quinzena dos Realizadores, uma das mostras paralelas mais importantes do festival.

O diretor constata que o cinema brasileiro tem crescido muito nos últimos dez anos, com participações em eventos internacionais: "Cannes, é claro, é o festival mais importante do mundo, é o que valorizou o aspecto artístico autoral nestas mostras que fazem ele ser o que ele é. E tem também no mercado dos filmes. Então, a nossa participação tem sido muito grande e isso vem de um sucesso de políticas públicas, que foram bem pensadas e bem desenvolvidas ao longo dos últimos 15 anos", comenta.

Já do ponto de vista político, Kleber define como muito triste a situação atual no Brasil. "Ano passado, quando fizemos o protesto no tapete vermelho, tínhamos muito medo que acontecesse o que está acontecendo no último ano", relata o cineasta. "O golpe se tornou cada vez mais claro e hoje está completamente exposto em relação ao que nós observamos um ano atrás", completa. 

Apesar de guerra, Brasil participa de Feira de Damasco, relata diplomata Bruno Razente

"Europa precisa abandonar discurso islamofóbico para conter atentados", diz analista

"Brasil precisa ser repensado em termos de meio ambiente", diz ambientalista

Igor Fuser: “Brasil e vizinhos latinos jogaram lenha na fogueira da crise na Venezuela”

"Prêmio em Locarno me dá ânimo para continuar":Sara Silveira, produtora

Entender o nazismo é importante para a juventude, diz autora e tradutora de livro sobre Hitler

Prevenção pode resolver consumo do "purple drank" na França, diz especialista

“Cultura brasileira seria mais pobre sem Rouanet”, diz ministro Sérgio Sá Leitão

Em 20 anos, nunca vi uma crise tão longa no mercado de arte brasileiro, diz galerista Maria Baró

"População trans ainda é muito estigmatizada", diz Inês Dourado, especialista em HIV

"Flip está ficando intimista de novo": Olivier de Corta, francês que vive em Paraty

Luiz Loures, da Unaids: “Jovens pensam que epidemia da Aids é coisa do passado”