rfi

Ouvindo
  • RFI Brasil
  • Último jornal
  • RFI em francês
RFI CONVIDA
rss itunes

ATD Quarto Mundo: Extrema pobreza não é apenas uma questão de poder aquisitivo

Por Silvano Mendes

Desde que foi criado, há 60 anos, o movimento ATD Quarto Mundo luta contra a miséria no planeta. A entidade, que existe em mais de 100 países, entre eles o Brasil, foi uma das incentivadoras da criação do Dia Mundial da Erradicação da Pobreza, data celebrada em 17 de outubro e reconhecida pelas Nações Unidas. Mas para a organização, a pobreza não deve ser avaliada apenas do ponto de vista econômico.

Fundado na França pelo padre Joseph Wresinski, o movimento ATD atua no Brasil há dez anos, com atividades principalmente no Rio de Janeiro e em Minas Gerais. Na pequena cidade mineira de Mirantão, a entidade trabalha a questão da integração no meio rural, sempre valorizando a experiência dos moradores que vivem em situação de miséria.

“Descobrimos o que é a pobreza no campo e, ao mesmo tempo, descobrimos o que é a riqueza de conhecimento e de estratégias de sobrevivência que existem e que a gente precisa aprender para que se ter políticas eficazes na luta contra a extrema pobreza”, explica Eduardo Simas, um dos membros da ATD Quarto Mundo no Brasil.

Já no Rio de Janeiro, o movimento atua em Petrópolis, onde organiza nesse 17 de outubro uma jornada cultural. Na região serrana, o ATD começou com as bibliotecas de rua. Levamos os livros para a rua, sentamos com as crianças, contamos histórias, escutamos”, relata Simas, que celebra os frutos da iniciativa. “Já temos adolescentes que começaram com 7 ou 6 anos e hoje estão contando histórias para outras crianças”.

O membro do movimento explica que a educação e o acesso ao mundo das artes é um dos pontos essencial na ação do grupo. “A extrema pobreza precisa ser encarada de uma forma multidimensional, além da questão estritamente econômica e de poder aquisitivo. Não adianta simplesmente poder comprar certos bens ou certos serviços se não se tem acesso a uma educação de qualidade que vá fortalecer a dignidade humana”, analisa. Além disso, “a pessoa que, economicamente, passa da linha da pobreza para a linha de extrema pobreza, continua em uma situação de grande vulnerabilidade se os direitos não estão garantidos”, conclui.

 

“Minha música é um engajamento pela liberdade”, diz gaúcho radicado na França

“Apenas distanciamento histórico vai explicar o que deu errado no Brasil”, diz cineasta Filipe Galvon

"Brasileiros querem coisas novas, mesmo que elas piorem para depois melhorar", diz Luiz Olavo Baptista

Jussara Korngold: "Brasileiros contribuiram para entrada do espiritismo nos EUA"

Documentário sobre ocupação do prédio do IBGE durante Rio 2016 é lançado na França

“Brasil virou um território da burrice”, diz escritor Bernardo Carvalho

“Há uma crença de que um regime mais militarizado colocaria ordem no Brasil”, diz historiadora da USP

Campanha da extrema direita mergulha Brasil em momento regressivo, diz especialista em segurança

"Faremos políticas públicas de alto impacto e baixo custo", diz cocandidata da Bancada Ativista de SP

Bolsonaro é produto de "avacalhação" da democracia brasileira, diz analista

Tudo o que você precisa saber para votar nas eleições brasileiras de 2018 em Paris

“Eu quis mostrar o ciclo criminoso que persiste no sertão brasileiro”, diz cineasta Eduardo Morotó em Biarritz

“Era inimaginável ver alguém defendendo a volta da ditadura, como hoje no Brasil”, diz a cineasta Flávia Castro

“Bolsonaro representa a banda podre do Brasil”, diz cartunista Adão Iturrusgarai

Bela Gil em festival Slow Food na Itália: “É importante conhecer quem produz o alimento”

Sabores do Brasil recebe “30% de brasileiros saudosos e 70% de franceses curiosos” em Paris

Inimigo no fascismo brasileiro é o pobre, diz pesquisadora do voto em Bolsonaro

Cantor Renato Fagundes traz a Paris tradição e modernidade da cultura gaúcha